30 de jan de 2012

Noite de Ano Novo, de Garry Marshall

O seu ano pode ter sido péssimo ou excelente. Entretanto, uma única coisa é certa: na noite de ano novo, tudo pode mudar, mesmo que seja por alguns momentos, quando fazemos um balanço do que deu certo ou errado e fazemos nossa lista, mental ou não, do que mudar no ano seguinte. É sobre as festividades de reveillon e, mais precisamente, sobre como a data mexe com as pessoas que trata Noite de Ano Novo, filme que embarca na onda de sucessos como Simplesmente Amor e Idas e Vindas do Amor, que usavam datas comemorativas (Natal e Dia dos Namorados, respectivamente) como pano de fundo e faziam uma colcha de retalhos que misturava histórias diversas que se cruzariam em determinado ponto.
Contando com um elenco estelar, Noite de Ano Novo traz várias histórias, usando atores que estamos acostumados a ver como nomes principais de diversos filmes sendo apenas responsáveis por uma trama ou arco no projeto. Assim, é natural que tenhamos mais interesse em uma ou outra história em detrimento das demais. E são tantos os nomes nos créditos do filme que ao vê-los passar pela tela ao final da projeção eu tinha de fazer um certo esforço para me lembrar deles e exatamente em que história estavam inseridos.
Uma das principais tramas do longa é a envolvendo a personagem de Hilary Swank, a responsável pela organização do Ano Novo na Times Square e o ponto ápice da festa: a descida da bola iluminada que marca a contagem regressiva da virada do ano em Nova York. Como para o roteiro funcionar as coisas não podem dar certo, a tal bola encontra um problema técnico e a personagem se vê às voltas para consertá-lo e garantir a noite de todos os demais personagens (e do mundo, afinal, o evento é transmitido mundialmente pela televisão).
Outra trama envolve Ashton Kutcher, cujo personagem detesta a data, e Lea Michele (que sai de Glee para viver uma personagem adulta, mas que lembra em muito sua Rachel da série musical) que se encontram presos num elevador e que inevitavelmente se verão romanticamente envolvidos. Além deles, também vivem uma história de amor os personagens de Bon Jovi e Katherine Heigl.
Entretanto, para mim, uma das melhores histórias foi a envolvendo os personagens de Michelle Pfeiffer e Zac Efron. Ela decide se demitir no último dia do ano e sair realizando sua lista de resoluções não cumpridas, enquanto o rapaz, em troca de 4 convites para uma desejada festa, a acompanha, fazendo com que cada um de seus desejos sejam realizados, mesmo que para isso tenham de adaptar algumas coisas.
Além dessas histórias, temos ainda outras envolvendo Halle Berry, Sarah Jessica Parker, Robert DeNiro, Abigail Breslin (a menininha de Pequena Miss Sunshine, lembram? Aqui ela está bela e crescida e eu me senti velho!), Jessica Biel, Sofia Vergara, Taylor Swift, Hector Elizondo, Sienna Miller, Seth Meyers, Til Schweiger, Josh Duhamel, Ice Cube e até mesmo Ryan Seacrest, apresentador do American Idol, fazendo ele mesmo.
No geral, Noite de Ano Novo é um filme bobinho e delicioso, que lhe deixa com aquela boa sensação ao sair do cinema, de que apesar dos pesares ainda há motivos para sorrir. O filme cumpre bem sua proposta e nos leva a antecipar aqueles sentimentos típicos da noite de 31 de dezembro, quando o otimismo transborda e é impossível não pensar que a partir de amanhã tudo pode ser diferente…
OBS: Os créditos do filme são imperdíveis, contando com uma “dança” impagável de Michelle Pfeiffer e alguns erros e momentos divertidos das gravações. Confira!
-->

0 comentários:

Share