15 de fev de 2012

Glee - 03x13 - Heart


Valentine's Day, bebê. O equivalente americano ao nosso Dia dos Namorados acontece em fevereiro, mais precisamente no dia 14 do segundo mês do ano. Assim, nada mais natural que para a semana do Valentine's Day, o Glee Club cante músicas de amor para embalar os relacionamentos mais que tumultuados dos personagens da série.

Destaque para Suggar, a riquinha prepotente que ajudou a criar as Troubletones e que acabou caindo nas graças de todos ao se mostrar mais uma divertida personagem da galeria de Ryan Murphy. Para comemorar o Valentine's Day, o pai milionário de Suggar lhe dá uma festa de presente onde só podem entrar pessoas acompanhadas. Começa assim a busca pelo par ideal dos solteiros.

Rory, que praticamente fez figuração em todos os episódios em que apareceu por ganhar o The Glee Project, acabou ganhando destaque com seu súbito interesse por Suggar. E a disputa entre ele e Artie pelo coração da jovem rendeu bons momentos no episódio, além da apresentação de Home, original de Michael Bublé. Será que o personagem irá realmente se despedir da série como alegou para ganhar a disputa com Artie? Aguardemos, mas eu acho muito que ele apenas usou essa desculpa.


Falando em TGP, é impossível não comentar a entrada do segundo vencedor do reality show na série. O insuportável (para mim) Samuel, ganhou um personagem "cristão" tatuado como ele e me deu uma preguiça sem fim de ter de aturá-lo por mais episódios. Fora que, pelo que me pareceu na apresentação final, vão forçar um envolvimento entre ele e Quinn. Seriously

Foi a deixa para Ryan Murphy inserir o assunto "religião" em Glee, sem nenhuma sutileza. O grupo  cristão do McKinley voltou à história, com discussões rasas como um pires sobre o conceito de "Deus" sobre a sexualidade humana. Podia ter rendido mais. Pra mim foi apenas boring.

Enquanto isso, o casamento de Rachel e Finn começa a se desenhar e foi ótimo finalmente ver os pais gays de Rachel aparecendo em Glee. Divertidos e irônicos, o plano dos pais era obrigar o casal a conviver para que desistissem da ideia estapafúrdia do casamento. Apesar da briga inicial por causa de espaço, pelo visto o tiro saiu pela culatra e Finn e Rachel querem o casamento logo depois das Nacionais. Será que vai vingar?

Sam e Mercedes continuam no chove não molha, mas a decisão da diva em ficar um tempo solteira depois de contar para Shane sobre seu envolvimento com Sam, serviu para uma homenagem involuntária à morte de Whitney Houston, já que a canção de amor escolhida por Mercedes foi I Will Always Love You, imortalizada na voz da cantora recém-falecida. Foi bonito.

E já ia esquecendo de falar. O que foi o retorno de Karofsky e a sua declaração para Kurt? Confesso, gosto muito do Blaine, mas sempre torci pro Karofsky se aceitar só pra ficar com o Kurt. Seria... controverso!

No geral, Heart foi um episódio bobinho, que serviu para nos preparar para o que realmente interessa. Na semana que vem, os fãs vão comemorar: as Regionais chegaram, bebê!
-->

0 comentários:

Share