23 de fev de 2012

Glee - 03x14 - On My Way


E de uma hora pra outra, tudo pode mudar. Afinal, apesar de fazermos planos diversos para nosso futuro, quem garante que o futuro realmente existirá ou, de forma mais cruel, que nós faremos parte dele? Foi basicamente essa a mensagem de On My Way, o excelente 14º episódio da terceira temporada de Glee em sua chamada winter finale.  

Confesso de cara que tenho um carinho especial pelos episódios de competição. Sejam Seletivas, Regionais ou Nacionais, os episódios focados nas apresentações competitivas do New Directions são sempre excelentes, fazendo a história correr e as coisas acontecerem. Dessa vez não foi diferente, apesar de que a competição em si nem foi o mais importante apresentado.

E a tensão chegou logo de cara com o drama vivido por Karofsky, que voltou em grande estilo à série no episódio passado, depois de tanto tempo sumido. Se antes era o rapaz quem molestava Kurt praticando bullying, agora foi a vez dele sentir na pele a dor de ser apontado e perseguido por seus colegas. Depois de ser visto com Kurt no Valentine's Day, o jovem viu a ira insana de seus colegas de escola e, não sabendo lidar com a situação, tomou uma atitude drástica, trazendo à baila um polêmico assunto: o suicídio de adolescentes. O que, convenhamos, tem tudo a ver com Glee, já que tem se tornado cada vez mais comum, principalmente nos EUA, o suicídio de jovens homossexuais, que não se aceitam e não entendem a perseguição que muitas vezes sofrem .

A tentativa (ainda bem que frustrada) de suicídio de Karofsky fez com que todos repensassem as próprias vidas e a forma como a levavam. O que antecipou a decisão de Rachel e de Finn de se casarem logo depois da apresentação do New Directions nas Regionais. Eu acho esse enlace a coisa mais idiota do mundo, pois casamento é uma coisa séria e não deve ser tratada de forma tão leviana. Qual a probabilidade de um casamento de adolescentes com sonhos tão díspares dar certo? Mas, se os dois pombinhos não queriam mais perder tempo, os amigos apoiam a decisão. Quantas vezes nós mesmos não vimos nossos amigos praticamente com o pé na merda mas, sem ter muito o que fazer além de falar, não acabamos apoiando? 

Alguém mais está adorando a nova Sue Sylvester? Acho que a virada da personagem foi gradual e excelente e, pelo menos para mim, é muito melhor vê-la mais humana e menos insana. Os ataques de Sue de quero-não-quero destruir o glee club eram divertidos no início, mas tornaram-se sem sentido até para a personagem, por isso foi ótimo vê-la ganhando uma trama coerente e misteriosa. Afinal, um dos ganchos deixados para o retorno da série envolve diretamente a treinadora das Cheerios: quem é o pai misterioso do filho de Sue Sylvester? As apostas já podem começar.


A apresentação nas Regionais foi exatamente aquilo que esperávamos, já que ninguém duvidava da vitória do New Directions. É o último ano de muitos deles no McKinley e todos esperamos pela grande vitória do nosso coral nas Nacionais. A trama envolvendo o vilãozinho Sebastian nos Warblers foi apenas encheção de linguiça e até para botar um fim nisso serviu a história de Karofsky. Todos comemoram (principalmente se eu não precisar mais ver os Warblers e suas dancinhas bobas na série).

E aqui chegamos ao final OMFG! do episódio, com aquela cena que me deixou tenso na frente da tela, até ter certeza de que o que estava achando que ia acontecer finalmente aconteceu. Ryan Murphy, querido, você quer nos matar do coração??? A cada SMS enviada por Rachel que fazia o celular de Quinn vibrar eu  já esperava o pior.

Entretanto, num comentário na minha timeline do Facebook, falando sobre o acidente com Quinn e a ansiedade que nos acompanhará até a resolução desse caso, uma bola foi levantada: será que Ryan Murphy terá culhões para matar uma das personagens mais queridas pelos fãs de Glee? Para muitos, a cena foi um déjà vu de algo já visto em outra famosa série de Ryan Murphy, Popular, quando a personagem Brooke McQueen sofre um acidente ao ser atropelada no final da segunda temporada e todos ficamos a ver navios sem saber o que aconteceria, já que a série acabou cancelada. Será Ryan Murphy querendo recontar essa história?

A má notícia vem agora: o episódio foi chamado de winter finale porque entrará num hiato de sete semanas, voltando a ser exibido somente em abril, nos EUA. Com um cliffhanger como o acidente de Quinn Fabrey, é impossível não ficar ansioso com esse retorno. Estou errado?
-->

3 comentários:

Giselle disse...

Nossa, eu nem assisto a série, mas depois desse review me deu até vontade de ver. Muito bom!

Stanford disse...

Ahazou, gato!
Eu amooooo a Quinn, acho ela baphônica!
Não pode morrer, né?
Ryanzinho, darling, orai por nós. Aloka!
Beijos mil!
Stan

Luciana Dantas disse...

ca-ra-lho.. esse Ep foi mt bom..

vc falou que a rachel e o finn adiantaram o casamento, depois do ocorrido, q isso eh coisa seria, e tal.. bla bla
Obvio q casamento eh coisa seria..
mas me diz, qual adolescente, de 17 anos, quando se apaixona, nao pensa em passar o resto da vida com o seu amor?
principalmente quando se trata de cidades do interior..
onde as pessoas fazem de tudo para sair dela..seja arrumando um bom emprego, seja casando..
nao acho que a abordagem dele tenha sido idiota e leviana sobre esse assunto. Pq diferente d Brasil,hoje em dia, isso acontece muito ainda.

Share