2 de mar de 2012

Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança, de Mark Neveldine


-->


Fui ao cinema para assistir Histórias Cruzadas. Entretanto, como não estava com muito humor para ver mais um drama, com bem mais do que duas horas de duração, resolvi optar pela velha fórmula do blockbuster em cartaz, Motoqueiro Fantasma: Espírito de Vingança. Esperava obter algumas doses de ação, com pitadas de bons efeitos e um pouco de comédia - baseado no péssimo primeiro filme. Como minhas expectativas eram mínimas, não posso reclamar do que vi. Mesmo assim, me decepcionei.

Após a primeira batalha contra as forças das trevas, Johnny Blaze (Nicolas Cage - será que ele ainda fará algum bom filme?) resolveu se refugiar na Europa Oriental, próximo à Turquia, lutando para controlar sua maldição. Mas Blaze acaba sendo encontrado e "convidado" por uma seita secreta (nesses casos, quase todas são secretas) para salvar um garoto (Fergus Riordan) do demônio (Ciarán Hinds), tendo então a oportunidade de se livrar de uma vez por todas de sua "dupla-personalidade", o motoqueiro.


Esse segundo filme consegue, em alguns momentos, ser mais sombrio do que o primeiro, o que é um lucro. Mas, em sua maioria, é uma comédia (ruim). Algumas cenas são completamente desnecessárias (quem viu o filme sabe o que foi a cena do "jato de fogo"). O enredo é fraquíssimo e completamente previsível. As atuações são fracas, pra dizer o mínimo. Só os ótimos efeitos especiais salvam o filme. Houve uma melhora significativa na transformação do motoqueiro e em seus brinquedinhos, como a moto.

Resumindo, se vocês não tiverem nada melhor pra fazer, assistam ao filme. Seu mérito é ser um pouco - muito pouco - superior ao primeiro e ter ótimos efeitos. E só! Nada que compense muitas palavras.

PS.: algum fã de Motoqueiro Fantasma (original) sabe o motivo dele parecer um retardado em algumas cenas do filme?

0 comentários:

Share