15 de mar de 2012

O Mundo Pós-Aniversário, de Lionel Shriver

-->


Encruzilhadas. Todos nós já enfrentamos algumas ao longo da vida. Que caminho seguir, que decisão tomar, o que fazer em determinada situação. Em nosso cotidiano somos brindados, diariamente, com questões que influenciarão na formação de nosso eu futuro e que indicarão a pessoa que seremos amanhã. E, muitas vezes, depois de definirmos a nossa escolha, é meio inevitável nos questionarmos com o famoso "e se..." que tantas vezes nos visita. Mas, como mundos paralelos não se cruzam, pensar em como seria a vida se tivéssemos tomado outra decisão não leva a lugar nenhum e é sempre um exercício de imaginação.

Em O Mundo Pós-Aniversário, Lionel Shriver subverte o lugar comum e constrói uma história em que dois futuros são possíveis. Em um determinado momento, a vida da protagonista se bifurca, seguindo dois caminhos diferentes que acompanhamos, capítulo a capítulo, com renovado interesse a cada situação vivida por ela. E, de forma bastante interessante, não é somente a vida da protagonista que se modifica em cada uma das possibilidades: suas ações afetam a realidade das pessoas próximas, construindo assim mundos bem distintos em cada uma das realidades apresentadas.

Irina McGovern é uma americana radicada em Londres, já que se mudou para a cidade quando seu companheiro, Lawrence Trainer, foi transferido. Ilustradora profissional, leva um relacionamento de invejável solidez ao lado de Lawrence, até que certa noite, inexplicavelmente, se vê atraida e com uma vontade incontrolável de beijar Ramsey Acton, um jogador profissional de sinuca, amigo do casal. A partir daí o livro se divide em duas histórias, onde numa delas Irina trai o marido com Ramsey e, na outra, contém esse impulso. Qual a melhor decisão para Irina, qual lhe faria uma pessoa mais feliz? Acompanhar cada uma das possibilidades de vida de Irina é empolgante e vale a pena mergulhar em cada página dessas histórias.

Conhecida pelas análises psicológicas de seus personagens, Lionel Shriver contrói outra trama interessante, que pega o leitor de jeito e que nos acompanha mesmo quando fechamos as páginas do livro. Se em Precisamos Falar Sobre o Kevin, o foco era na relação maternal e suas implicações, ao passo que em Dupla Falta, mergulhávamos na descontrução de um relacionamento, em O Mundo Pós-Aniversário somos apenas confrontados com a idealização do amor, que quase sempre não é tão bonitinho como nas histórias românticas e, muitas vezes, envolve uma boa dose de sofrimento, afinal, apesar de desejado, quem disse que amar é simples e fácil?

O interessante de O Mundo Pós-Aniversário é que não há caminho certo ou errado para Irina McGovern. Lawrence e Ramsey são dois homens com virtudes e defeitos, que podem ser amados ou odiados dependendo de suas ações. O que acho mais interessante é como, para mim, a história ora se apresentava mais interessante numa realidade, ora prendia mais a minha atenção na outra. Ao mesmo tempo, era impossível terminar um capítulo sem estar morto de curiosidade para ver como aqueles "mesmos" fatos seriam apresentados no outro mundo de Irina.

Mantendo o estilo visto em suas outras obras, Lionel Shriver faz de O Mundo Pós-Aniversário mais um livro imperdível. E, mais uma vez, nos mostra que a vida quase nunca é fácil e, apesar de carregar muitas vezes nas tintas desoladoras e depressivas, a autora nos coloca, quase sempre, num choque de realidade, apesar de escrever ficçao.

No final, a(s) vida(s) que acompanhamos é(são) de Irina. Mas poderia(m) muito bem ser a(s) sua(s). Ou a(s) minha(s).
-->

0 comentários:

Share