27 de abr de 2012

Glee - 03x17 - Dance With Somebody


-->
As despedidas começaram oficialmente em Glee. Perto do fim de sua 3ª temporada e sem sabermos quais dos graduandos permanecerão no próximo ano no elenco da série, um episódio especial, dedicado a Whitney Houston foi utilizado para preparar o terreno para as despedidas que virão. A diva, falecida recentemente, foi a inspiração da semana, com suas músicas e seu legado, o que, temos de convir, caiu como uma luva na série, num dos episódios-tributo mais interessantes até então.

E se na semana passada quase não vimos Quinn em cena, nesse episódio ela voltou a brilhar, com direito até mesmo a uma música. Sou suspeito, porque gosto da personagem, mas acho que com ela até o insuportável do Samuel Joe acabou rendendo um pouco. Como o envolvimento era inevitável, como vimos desde a primeira aparição do ex-TGP, pelo menos ele surgiu de maneira natural e não "empurrada". Aliás, sobre Joe, a única coisa que tenho a dizer é que Ryan Murphy deve estar se divertindo bastante com o personagem "cristão" que criou. Ele é tão surreal e idiota, que suas cenas com os demais acabam sendo muito divertidas. Fora que os roteiristas devem se fartar de rir ao criar as cenas em que os personagens usam as suas próprias ideias a respeito do cristianismo. O momento de Sam explicando porque transou antes do casamento e não se sente culpado por isso, já que "os tempos são outros" foi impagável!

O draminha de Kurt-Blaine foi um tanto quanto insosso. Porque se eu já gostei do casal um dia, acho que isso mudou enquanto a minha antipatia por Blaine foi crescendo. Sei lá, o personagem desandou por algum motivo que desconheço, ao ponto de eu não mais aguentar nenhum de seus solos, que parecem sempre intermináveis. E se Kurt se interessou pelo espalhafatoso amigo que arranjou na loja de discos, o motivo disso foi a própria distância do namorado. Não que ele estivesse certo ao alimentar algo através das milhares de SMSs trocadas, porque isso realmente não foi lá muito digno; mas dá pra entender o sentimento de Kurt, principalmente depois do flerte entre Blaine e Sebastian. O legal foi que finalmente vimos Kurt brilhar com uma música só sua, e eu adorei sua versão para I Have Nothing.



Além disso, não faltaram momentos fofura no episódio. Eu já me rasguei de elogios para a relação Burt-Kurt, já que eles sempre emocionam em suas cenas, o que não foi diferente dessa vez. Fora isso, tivemos Rachel e Santana, totalmente divas e selando uma amizade depois de tanto tempo convivendo juntas. O que foi o momento de Santana se emocionando e tentando lembrar-se de um motivo para odiar Rachel? #EuRi

Mesmo não conhecendo todas as canções de Whitney que foram usadas no episódio, eu gostei de quase todas as versões apresentadas. Principalmente porque sempre acho muito legal ver personagens que quase sempre são coadjuvantes soltando a voz. Brittany, Quinn, Artie. Todos tiveram seus momentos em Dance With Somebody e só sinto falta, cada vez mais, de Tina. Bem que podiam investir mais na personagem, principalmente dando uma boa história para ela, no próximo ano.

A cena final, mostrando o conhecido número musical com todo o Glee Club cantando juntos, mesmo quando isso não era obrigatório, foi realmente linda e emocionante. Deu pra entender os sentimentos de Will com relação a esses garotos que o influenciaram tão profundamente. 

Agora é segurar a onda para a avalanche de emoções que devem vir pela frente, já que temos as Nacionais se aproximando e, claro, a esperada formatura! 

OBS: alguém sabe onde enfiaram Rory e Suggar? Sinto falta dos dois!

-->

0 comentários:

Share