13 de ago de 2012

Resumo Olimpíadas 2012: 17 Dias - No Esporte e Na Telinha



E mais uma edição dos Jogos Olímpicos chega ao fim. Agora as Olimpíadas irão cruzar o Atlântico e desembarcar em terras tupiniquins, daqui a longínquos 4 anos.

Para os fãs de esporte (nenhuma referência a ESPN Brasil, ok?!), esta segunda-feira é de depressão, tristeza e de um sentimento de que vai demorar muuuuito para chegar 2016. Mas isso daqui a pouco passa...

Passados 17 dias - um pouco mais do que isso, já que o futebol começou antes da abertura oficial - na companhia do melhor do esporte mundial, resolvi fazer esse breve resumo dos melhores e piores momentos olímpicos, na esperança de adiar um pouco mais a despedida dos Jogos.



Da abertura, shows, 007 e Rainha, culminando na belíssima Pira Olímpica composta por cada país que esteve presente nos jogos. Emocionante, porém esquecível.

O primeiro dia oficial de competições reservou grandes emoções para nós, brasileiros, com uma esperança de que nestes jogos nossa grandeza fictícia seria refletida no quadro de medalhas. 3 medalhas, novos heróis olímpicos, emoção e choro de narrador. Um começo épico, para nossos padrões. Um início enganador, para a nossa tristeza.


Aos poucos, heróis viraram vilões, o ouro virou bronze, lata. O vento amedrontou. O tombo foi repetido. Favoritos viraram decepção. A prata voltou ao peito dos canarinhos já tão acostumados a usar o amarelo nas decisões olímpicas.

Poucas surpresas nos encheram de orgulho, como o boxe dos Falcão e o desconhecido pentatlo moderno, da grande Yane Marques. Parabéns às guerreiras do vôlei. E também ao rapazes, mesmo com o doída prata. Sarah e Arthur são ouro, não só na medalha conquistada. Kitadai, Mayra, Rafael, Cesar, Thiago, Alison e Emanuel, Juliana e Larissa, Adriana, Prada e o grande Scheidt, refletiram um pouco da garra e da determinação brasileira, clichê por essência, mas também real. Se alguns deles não conseguiram os resultados esperados, buscaram o melhor sempre.


Do show de encerramento - sim, show, não cerimônia, com direito a Spice Girls, The Who, entre outros - vimos um pouquinho do Brasil. E, pasmem, de Bachianas a Maracatu Atômico, com Seu Jorge e Pelé, não somente samba, carnaval, futebol e belezas naturais. Somos muito mais do que isso. E temos potencial sim para fazer ótimos Jogos Olímpicos em 2016 - e vamos fazer (sem entrar no mérito, neste momento, de gastos e desvios, ok?). Ah, e podemos realizar uma abertura mais do que inesquecível - agora sim o termo!

Dentro das quadras, raias, piscinas e tatames, temos muito o que evoluir. A campanha de 2012 foi decpcionante sim. Não me venham falar que faltou apoio, dinheiro, investimento. Algumas modalidades carecem de incentivos, mas a maioria os possui. Faltou preparo psicológico. Faltou vontade em alguns momentos. Ou mudamos de atitude ou nos contentaremos com um 20º dentro de casa.

_____

Nas telinhas vimos as primeiras Olimpíadas pela Record. Transmissões de alta qualidade, boa variedade de competições e ótimos narradores. Os "comentaristas-atletas", mais uma vez, não funcionaram. E alguns furos que não devem ser repetidos, como a falta de exibição ao vivo de algumas competições (repescagem do judô, entrega da medalha a Yane Marques, por exemplo) e excesso de comerciais até durante as cerimônias. 4 anos para acertar...


A Globo foi formal. Limitada, engessada e sem emoção. Tem muito o que aprender para os próximos eventos em que não tenha os direitos de transmissão. O público não pode pagar por isso.

O SporTv deu show. 4 canais, emoção e razão na medida certa - às vezes mais emoção, não é Sérgio Maurício?! Mas, o que seria de uma Olimpíada sem esse choro espontâneo?! Muito legal!

Galvão perdeu seu tempo no canal - e fez com que o canal também se perdesse algumas vezes. Brigas e mau humor. Eles não precisavam disso. Apesar de muitas vezes chato e arrogante, Galvão ainda é uma lenda.

A ESPN mais uma vez foi ótima. Palomino, Dudu Monsanto, PVC, todos estavam muito bem. O fã de esporte (agora de propósito) não perdeu nada e, com certeza, ficou satisfeito.

Não vi muita coisa no Band Sports, mas o que vi agradou.

______

Enfim, esses foram os Jogos Olímpicos Londres 2012. Que venham os Jogos Paralímpicos no final do mês, dessa vez com uma esperança realista de estar no Top 10 (5?) de medalhas. Se os atletas olímpicos reclamam de falta de incentivo, o que dizem esses atletas? E com melhores resultados!

Até 2016! O Rio aguarda ansiosamente por esses dias de luta, glória e superação. Estamos preparados? Acho que não. Faremos um belo espetáculo? Tenho certeza que sim!


*No vídeo acima, o tema oficial das Olímpiadas 2012, que faz uma brincadeira bem legal com os deuses do Olimpo e a Cidade Maravilhosa.

Para ficar atualizado com todas as novidades do Pop de Botequim, curta nossa página no Facebook (clicando aqui) e nos siga no Twitter (clicando aqui)! É fácil, rápido e super prático!

Sigam-nos os bons!

3 comentários:

Serginho Tavares disse...

e que venha Rio 2016 sem Galvão Bueno, claro!

Diniz disse...

Poxa vida, acho que muitas pessoas vão me criticar... mas não enxerguem isso como uma defesa da Globo, acredito que as emissoras são farinha do mesmo saco todas tendo pontos positivos e negativos. A transmissão da Record foi medíocre, os narradores e comentaristas não tinham competência e profissionalismo e realmente a cobertura foi bem maior do que seria na globo pois acredito que poucos programas da grade da Record dão mais audiência que uma olimpiada (ou seja, a grande cobertura não foi mérito da Record), a câmera exclusiva e as reportagens feitas pela Record eram amadoras perto das que foram feitas pelo canal do SportTV, infelizmente tive de acompanhar metade das olimpíadas pela Record e sei bem do que estou falando.
Quanto a cobertura de outras emissoras, inclusive da globo foram realmente limitadas, mas... a culpa foi do comitê olímpico britânico que liberou apenas 6 minutos de transmissão diário para emissoras de canal aberto não detentoras dos direitos, sendo que não poderiam exceder mais de 2 minutos de vídeos num único programa... Por isso o excesso de fotos,vídeos pífios e matérias curtíssimas feitas pela Globo.
Desabafo publicado, me desculpem aqueles que não gostam da Rede Globo, também não sou um fã da política monárquica da emissora... mas falar que a Record fez um bom serviço foi demais pra quem foi torturado durante meia olimpíada.

Bruno SM disse...

Valeu pelo comentário, Diniz!
No geral achei sim a transmissão da Record boa. Imagens, narração, disponibilidade de competições... Bem melhor do que o Pan de Guadalajara.
Quanto aos comentaristas, esse foram muito ruins mesmo.
E também concordo quanto à qualidade da Globo, que é uma referência mundial em transmissões esportivas, principalmente futebol.

Share