25 de out de 2012

Moonrise Kingdom, de Wes Anderson





Há muito que a produção hollywoodiana, acostumada a produzir filmes em massa, apresenta filmes que, quase sempre, apresentam um mesmo estilo, calcado naquilo que os estúdios acreditam ser a preferência do público. Por isso, quando existe a possibilidade de se assistir a um filme em que uma assinatura de diretor está impressa, é gratificante perceber que há mais do que o cinemão pasteurizado que estamos habituados de ver, apresentando obras que são, em sua maioria, mais do mesmo. Assim, é interessante perceber que um rol que já conta com nomes como Woody Allen, Quentin Tarantino, Pedro Almodóvar e outros, cada um à sua própria maneira, é também habitado por um interessante diretor de nome Wes Anderson.

Moonrise Kingdom, novo trabalho do diretor (de outras obras celebradas, como Os Excêntricos Tenenbaums e A Vida Marinha de Steve Zissou, por exemplo) é um desses filmes que apresentam uma história cativante que, aliada à execução de seu diretor, torna-se uma diversão irresistível, daqueles que são quase sempre lembrados.



A história do filme é simples e cativante. Em uma pequena ilha da Nova Inglaterra, nos anos 60, o jovem escoteiro Sam (Jared Gilman) abandona seu acampamento e foge com a menina Suzy (Kara Hayward), com quem trocava cartas há um ano. Decididos a viver uma aventura, os dois deixam família e acampamento para trás, que, preocupados, iniciam uma perseguição para resgatar os dois jovens. Nesse meio tempo, dramas familiares são desenrolados e presenciamos o nascimento do primeiro amor entre dois jovens.

Grande parte do êxito de Moonrise Kingdom reside na escalação de seu elenco. Praticamente todos os personagens da história são mergulhados em melancolia e os atores escolhidos para interpretá-los conseguem surpreender ao criar pessoas tão simplórias e que vivem turbilhões emocionais. Se as crianças vividas por Jared Gilman, Kara Hayward e demais membros do acampamento de escoteiros dão perfeita conta do recado, roubando nossa atenção, são os adultos, em papeis de coadjuvantes, que brilham na tela grande. Com Bruce Willis, Edward Norton, Bill Murray e Frances McDormand capitaneando o elenco adulto, todos acabam tendo, hora ou outra, o seu grande momento no filme.




Já Wes Anderson filma com seus maneirismos característicos de câmera, apresentando paisagens deslumbrantes e guiando o espectador com um olhar todo peculiar sobre o filme. E se para os não familiarizados com o estilo do diretor (como eu), a câmera em constante movimento pode incomodar no início, é fácil deixar que esse detalhe se integre à história sendo contada e embarcar na viagem proposta por ele.

Apresentando temas como o primeiro amor, crianças precoces e "difíceis", relacionamentos extraconjugais e a já mencionada melancolia, Moonrise Kingdom emociona e diverte, ao mesmo tempo em que nos faz sair do cinema com aquele sorriso no rosto que somente os bons filmes são capazes de nos proporcionar. 

No fim das contas, o tal Moonrise Kingdom do título do filme, acaba se tornando um lugar que você próprio tem vontade de visitar.

Para ficar atualizado com todas as novidades do PdB, curta nossa página no Facebook (clicando aqui) e nos siga no Twitter (clicando aqui). É fácil, rápido e super prático!

Sigam-nos os bons!


0 comentários:

Share