11 de dez de 2012

A Saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer




Uma história de amor água com açúcar entre dois jovens apaixonados que devem enfrentar um empecilho para viver essa relação. História batida e contada desde que o mundo é mundo, não? Romeu e Julieta, Tristão e Isolda, Jack e Rose. Já vimos/lemos/ouvimos milhares de vezes uma trama semelhante. O que faz a diferença é a forma como isso é contado, prendendo assim a atenção do público. 

Por isso, tome o mote principal do casal e transforme um deles num vampiro centenário e o outro num ser humano. Crie uma mitologia própria para os seus vampiros e, voilà, é essa a história da série de livros Crepúsculo (Twilight, em inglês), de Stephenie Meyer, que conquistou legiões de fãs, agitou o mercado editorial e agora, com a chegada de Amanhecer: Parte 2 nos cinemas, vira novamente febre, com milhões de adolescentes histéricas dando gritinhos e se esgoelando pelos vampiros bobinhos da história.

Os quatro livros da saga Crepúsculo, que falarei com detalhes a seguir, já venderam juntos, mais de 150 milhões de cópias em todo o mundo, com traduções em 37 linguas diferentes. Na época do lançamento do primeiro livro, Meyer chegou a ser comparada a J.K. Rowling, autora dos best sellers Harry Potter e que também enriqueceu com uma obra literária. E parece que Meyer seguiu os passos de Rowling direitinho, afinal, achou uma boa história e soube manter a atenção do público nela até o seu final. E ainda inspirou gente como E L James, criadora da trilogia Cinquenta Tons de Cinza, o assunto do momento. Mas essa é outra história!

Sendo membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (também conhecida no Brasil como Mórmons), casada e tendo três filhos, Meyer criou um romance tatibitati, por vezes inocente, onde apesar de insinuada, a sexualidade é tratada de forma respeitosa, quase santa (isso numa história sobre seres das trevas). 

Lançado em 2005, Meyer conta que a história de Crepúsculo surgiu em 02 de junho de 2003, quando teve um sonho onde era uma garota vampira e havia um vampiro apaixonado por ela e que desejava o seu sangue. Baseado nesse sonho, Meyer escreveu a transcrição do que agora é o capítulo 13 do primeiro livro da série. 

Stephenie Meyer é formada em inglês pela Brigham Young University, mas até escrever Crepúsculo, não tinha muita experiência na construção de uma trama literária. Mesmo assim, em apenas três meses, ela transformou seu sonho em um romance que, tempos depois, seria um enorme sucesso editorial. 

A partir de agora, conheceremos um pouco mais dessas quatro histórias que movimentam milhões de dólares e transformam seus admiradores em verdadeiros fanáticos pela série. E faço essa análise com o embasamento de ter lido todos os livros e até mesmo gostado da história. Porém, não sou um fã incondicional e cego e sei que, como todas as histórias, os livros tem seus prós e contras. 

Bem vindo ao universo dos livros Crepúsculo! Mas, como já deve ter percebido, não pouparei os spoilers… Continuar a leitura é por sua conta e risco. 
  • Crepúsculo (Twilight) 
Bella Swan é uma jovem normal, da ensolarada Phoenix, no Arizona e que depois do novo casamento de sua mãe, se muda para a pequenina e chuvosa Forks, Washington, para morar com seu pai, Charlie. 

Introspectiva, Bella é descrita como uma menina comum, sem grandes atrativos. Entretanto, como é novidade na cidade, acaba atraindo a atenção de vários dos garotos locais quando finalmente começa a frequentar a escola local. Forçadamente, já que é um pouco anti-social, Bella acaba amiga de Mike, Jéssica, Angela, Eric e Tyler. E seria apenas isso se o jovem mais belo da escola, Edward Cullen, não cruzasse o seu caminho em uma aula de Biologia. O rapaz, descrito como tendo uma beleza absurda, começa um jogo de atração e repulsa com Bela. Óbvio que eles acabariam se apaixonando. 

Mas, como trata-se de uma obra de ficção, nada poderia ser perfeito. Edward e seus ‘irmãos’ vivem à margem dos outros alunos da escola, parecem nunca se alimentar e, apesar de extremamente lindos, causam intimidação nas pessoas, que não tem coragem de se aproximar. O que não é o caso de Bella, que acaba envolvida com Edward. Entretanto, os mistérios do rapaz a deixam desconfiada e, peça a peça ela vai montando um quebra cabeças até que com a ajuda não-intencional de seu amigo Jacob Black, um jovem local da tribo Quileute, Bella descobre que Edward e sua família são na verdade vampiros vegetarianos, que se esforçam em viver numa dieta que não inclui sangue humano. 

Apesar disso tudo, Bella e Edward entram num relacionamento e vivem uma história de amor não convencional, afinal, Edward deseja o sangue de Bella, que é descrita como tendo um cheiro delicioso para os vampiros. E é exatamente por isso que ela acaba envolvida numa história absurda do meio do livro pro final: durante um evento dos Cullen (a ‘família’ de Edward), três vampiros aparecem e conhecem Bella. E não demora muito para que James, um vampiro rastreador, deseje Bella absurdamente e passe a persegui-la. É esse o mote que move o livro do seu meio até o final. 
Claro, que como em toda história, o vilão é morto pelos Cullen, num final alucinante. Entretanto, James deixa Victória, sua companheira vampira, que certamente procurará se vingar de Bella, o ser que foi o responsável pela morte de seu amado. 
--- 
  • Lua Nova (New Moon) 
Originalmente publicado em 2006, o livro veio saciar a curiosidade que Crepúsculo deixou nos leitores. 

A trama começava no aniversário de 18 anos de Bella e na festa que os Cullen fazem para ela. Entretanto, por um acidente, Bella se corta e Jasper, o mais ‘novo’ dos Cullen a ataca repentinamente. Devido ao incidente, Edward fica transtornado e desaparece, terminando o namoro de forma abrupta. Claro que Bella entra numa depressão pavorosa. O interessante do livro é que Edward só reaparece no terço final da história. Até lá, vemos o envolvimento de Bella com seu amigo Jacob Black, o que faz com que a jovem se sinta novamente feliz, mesmo longe de Edward. 

É nesse livro que surgem os lobisomens da história, sendo Jacob um deles. Do meio pro final, a reviravolta de sempre: Alice, a outra ‘irmã’ de Edward, tem uma visão de Bella se jogando de um penhasco e acha que ela se matou. E Edward, desesperado, tenta acabar com a própria vida, rumando para a Itália para desafiar os Volturi (o clã vampiro que faz as leis do mundo das trevas) de uma forma exótica: caminhando em plena luz do sol no meio da cidade movimentada e assim chamando a atenção de todos os humanos, afinal, os vampiros brilham no sol. 

Alice descobre seu equivoco, percebe que Bella está viva e aparece para a jovem para que juntas rumem para a Itália para resgatar Edward. É quando Edward descobre que Bella está viva, mas já é tarde demais, afinal os Volturi já sabem da intenção original do vampiro de se expor. Conhecemos o clã vampiro e a forma como eles vivem. Para serem liberados pelos Volturi, uma promessa tem de ser feita: a de que Bella será transformada numa vampira. 

Com o casal protagonista fazendo as pazes, já que Edward explica que achava que mantendo-se longe a deixaria livre de perigos, Jacob, perdidamente apaixonado por Bella, sofre. Claro que nesse meio tempo tínhamos um vislumbre de Victória rondando a cidade atrás de Bella, afinal, não nos esqueçamos: no primeiro livro ela jurou vingança à Bella, a causadora da morte de seu parceiro. O livro, pra mim o mais chato de todos, termina com o pedido de Edward a Bella em casamento. 
--- 
  • Eclipse (idem) 
Esse é, em minha opinião, o melhor dos livros da saga criada por Stephenie Meyer. A história continua seguindo os passos de Bella, que dessa vez não sabe como lidar com seu relacionamento com Edward e sua amizade com Jacob. Como amar um vampiro e ter como melhor amigo um lobisomen? 

Nesse meio tempo, uma horda de vampiros recém-criados começa a assolar as ruas de Seattle e os Cullen estão bastante alertas no que isso possa significar. Bella ainda pensa em sua futura vida imortal, já que ser transformada em vampira faz parte do acordo com os Volturi, o clã vampiro que mantém a ordem no mundo obscuro. Uma história densa, com muitas reviravoltas e muitos detalhes sobre o passado de outros integrantes dos Cullen dão o tom a Eclipse. No meio da história vemos o retorno de Victória à trama e em seu fim temos a possibilidade de vermos novamente os Volturi em ação. 

Entretanto, a grande dúvida do livro é a grande deixa para o capítulo final da história: Edward transformará Bella em vampira? 
--- 
  • Amanhecer (Breaking Dawn) 
E chegamos ao último livro da saga! Para os que achavam que ficaríamos na dúvida até o final se Bella se transformaria ou não em vampira, uma surpresa: essa história é até que rapidamente resolvida. 

A estrutura do livro é simples: dividido em três partes, a primeira narrada por Bella, a segunda por Jacob e a terceira, novamente por Bella, o livro mostra o casamento de Edward com Bella, sua lua de mel (acreditem, no Brasil!), e uma improvável gravidez da protagonista. Por causa dessa gravidez de um ser que é metade vampiro, metade humano, Bella pode morrer durante o parto e é salva por Edward que a transforma em vampira. 

E assim nasce Renesmee. Jacob, o eterno apaixonado por Bella sofre o chamado imprinting (uma espécie de ligação entre um lobisomen e outro ser) com a filha de sua amada e tudo se resolve. 

Tudo seria lindo se os Volturi não achassem que Renesmee é um bebê vampiro – algo proibido de existir no mundo das trevas. E assim começa uma verdadeira preparação para uma guerra entre os Cullen e seus aliados e os Volturi. 

Claro que no fim do livro tudo se acerta e a paz parece reinar para nossos personagens. 
--- 

Resumidamente, essa é a história dos quatro livros de Stephenie Meyer. Pode parecer (e é!) bobo, infantil, mas eu garanto: vicia! Não são obras primas, mas servem como diversão descompromissada, em verdadeiros prazeres regados a vergonha por ler esse tipo de coisa. E é inegável o apelo dos livros da saga Crepúsculo em jovens leitores! Os livros viraram uma verdadeira febre, as versões cinematográficas atraem milhões e são campeãs de bilheteria. 

Curiosidades: 
  • Meyer tinha o plano de depois de encerrar a saga, lançar um novo livro intitulado Midnight Sun (Sol da Meia Noite). A nova obra contaria a mesmíssima história de Crepúsculo só que sob a ótica de Edward. Entretanto, os doze primeiros capítulos da obra vazaram na internet e Meyer suspendeu sua idéia original. Pode até ser que ela um dia dê continuidade a esse plano, mas devido ao vazamento, isso foi interrompido.
  • Baseada na mesmíssima história de Eclipse, Meyer chegou a lançar um novo livro. Chamado A Breve Segunda Vida de Bree Tanner, acompanhamos a trama de Bree, que transformada em vampira, faz parte do exército de Victoria em sua sede de vingança contra os Cullen. 

Agora, só me resta perguntar: e você, deixou-se envolver, de alguma maneira, pela trama de Crepúsculo? Não tenha vergonha e admita, afinal, você não está sozinho com esse guilty pleasure

Texto originalmente publicado em 16/09/2009, em outro canal, mas pelo mesmo autor que, antes de publicá-lo aqui, atualizou algumas das informações.


Para ficar atualizado com todas as novidades do PdB, curta nossa página no Facebook (clicando aqui) e nos siga no Twitter (clicando aqui). É fácil, rápido e super prático!

Sigam-nos os bons!


0 comentários:

Share