26 de jan de 2013

American Horror Story: Asylum - 02x13 - Madness Ends (Season Finale)



E chegamos ao final dessa jornada chamada American Horror Story: Asylum. Em seu segundo ano, a série de terror psicológico criada por Ryan Murphy conseguiu se popularizar, aumentar a audiência e atrair a atenção do público em seus temas loucos e absurdos. E fez isso de maneira magnífica, apresentando uma história que tinha tudo para ser apenas bizarra, mas que conseguiu fechar todas suas pontas soltas, apresentando um final surpreendente. O que, convenhamos, é o que todos nós esperávamos!

O capítulo final desse segundo ano serviu para amarrar toda a história e fechar o arco. Pela primeira vez em Asylum, Briarcliff não foi o cenário principal de tudo, apesar de importante para os acontecimentos retratados em Madness Ends. O foco aqui foi nos dias atuais, com Lana acertando as contas com seu filho, um veradadeiro fruto de Briarcliff. Mas, é claro, falarei sobre isso mais no final.

Comecemos então com Irmã Jude, o grande nome e protagonista principal da série. Largada em Briarcliff pelo Monsenhor Timothy, Jude estava quase perdendo totalmente a razão até ser descoberta por Kit. Legal ver que Lana tentou voltar para resgatá-la, mas não conseguiu seu intento, já que Kit já havia feito isso. O jovem escolhido pelos ETs, que participaram timidamente desse terceiro ano, acabou sendo o responsável pelos bons seis meses finais de vida de Jude, graças à ajuda de seus filhos, crianças (e adultos, pelo que Lana contou depois) para lá de "especiais".

Já o Cardeal Timothy acabou tirando a própria vida. Questionado por Lana sobre tudo que permitiu em Briarcliff, o religioso não aguentou a pressão e literalmente cortou seus pulsos. "Responsável" pela atitude do cardeal, Lana teve uma postura de jornalista em busca da verdade e parece não ter se importado muito com o final do responsável original por Briarcliff. 

É quando voltamos para as questões centrais do episódio. Pelas minhas contas, a Lana dos dias atuais deveria ter seus 80 anos. E não é que a maquiagem na atriz me convenceu minimamente? Jornalista investigativa de sucesso, Lana nunca esqueceu tudo que viveu em Briarcliff. Aliás, todo seu trabalho foi baseado nessas experiências. Agora, perto do fim da vida, é o momento de seu acerto de contas com o filho que rejeitou.

Confesso: eu não esperava esse final. Imaginei diversas possibilidades quando o atual Blood Face conversava com a mãe (ele atirar nela, ele se matar, ela se matar com a arma), mas nunca pensei que seria a própria Lana quem mataria o filho, finalmente fazendo aquilo que não teve coragem quando pensou em abortá-lo. 

O último episódio foi um verdadeiro show de direção. Com mil efeitos, texturas e jogos de câmera, Madness Ends foi preparado para deixar os fãs da série satisfeitos com o capítulo final desse enredo tão bem arquitetado. 

Com o sucesso alcançado se refletindo nos números de audiência do canal à cabo FX nos EUA, é óbvio que um terceiro ano, com uma nova história, será realizada. Ryan Murphy, um dos criadores de AHS, disse inclusive que deixou algumas pistas soltas sobre o tema do terceiro ano nos episódios finais dessa segunda temporada. 

Eu, lesado que sou, não consigo sequer imaginar o que eles aprontarão em mais uma temporada que, certamente, mobilizará a audiência. Só tenho algo a declarar: é claro que conferirei!
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

0 comentários:

Share