3 de jan de 2013

O Impossível, de Juan Antonio Bayona

>

Uma das maiores tragédias do século é o pano de fundo para o emocionante O Impossível, que fala sobre uma família que curte as férias no litoral da Tailândia no Natal de 2004, quando um tsunami de proporções gigantescas - tá, ok, sei que tsunami é "onda gigante" - atingiu o sudeste asiático. O número de mortos nessa tragédia ultrapassou 200 mil.

Maria (Naomi Watts), Henry (Ewan McGregor) e seus três filhos saem do Japão para as férias na Tailândia, em busca de alguns dias de sossego no paraíso tropical durante o final do ano. Porém, na manhã de 26 de dezembro, enquanto a família está na piscina do hotel, um terrível barulho assusta a todos no local. É quando Maria vê à sua frente uma enorme parede de água que vem ao seu encontro, dando início à luta de todos pela sobrevivência em meio ao caos.


Impossível é não não se emocionar com esse longa. E também de não se chocar. Talvez angústia seja a palavra que descreva corretamente quase todos os momentos dessa belíssima obra, que retrata muito bem a catástrofe.

Na maior parte do tempo nossas poltronas parecem posicionadas dentro da tela, em meio ao caos que assola o lugar e em meio à angústia vivida pelas pessoas que ali estão. Não digo personagens porque o filme é baseado numa história real. O filme é duro, forte. Mas nada diferente da realidade.

O fato é que Bayona realizou um belo trabalho, com ótimos efeitos e bela fotografia. E contou, também, com um elenco à altura, com destaque para a sempre ótima Naomi Watts, Ewan McGregor e Tom Holland, que é Lucas, filho mais velho do casal.


Algumas sequências do filme, como os encontros/desencontros no hospital local, foram meio forçadas - talvez buscando dar ainda mais ênfase à emoção. Mas isso em nada tira o grande mérito da obra ao tratar dessa tragédia e dessa maravilhosa história de luta pela sobrevivência.

Afinal, o que é impossível?

Para ficar atualizado com todas as novidades do PdB, curta nossa página no Facebook (clicando aqui) e nos siga no Twitter (clicando aqui). É fácil, rápido e super prático!

Sigam-nos os bons!

>

0 comentários:

Share