24 de jan de 2013

O Último Desafio, de Kim Jee-woon



>

Se o PdB resolveu dar uma renovada no visual, Arnold Schwarzenegger achou que poderia fazer o mesmo, usando como referência personagens atuais de Clint Eastwood. Ou seja, velhos e rabugentos. Pois é, Arnold não conseguiu, obviamente, chegar aos pés de Clint. Mas conseguiu retomar sua carreira no cinema - em filme solo - com muita ação, tiros e perseguições. Afinal, não é isso que esperamos dele?

Em O Último Desafio (The Last Stand, no original), Schwarzenegger é o xerife Ray Owens, um dos milhões de policiais do cinema que desiste de tudo - normalmente por causa de uma operação policial desastrada, morte de parceiro, etc - para viver numa pacata cidade chamada Sommerton Junction. Lá ele não precisa combater o crime, já que não há crime. Mas, eis que tudo muda quando um dos prisioneiros mais perigosos do FBI, Gabriel Cortez, consegue fugir  e segue em direção à fronteira para escapar para o México. O problema é que na fronteira está Sommerton. E em Sommerton está o xerife Ray.

Kim Jee-woon tentou fazer um filme no estilo oriental, com muita ação, acrobacias e um toque de humor. E conseguiu. A trama é bastante interessante - e simples -, já que toda a fuga envolve uma perseguição automobilística. Não muito justa, é claro, já que Gabriel - vivido por Eduardo Noriega, muito bem no papel - tem um Corvette ZR1. Há cenas muito bem elaboradas e visualmente belíssimas, como no "embate" entre o carro e um helicóptero, com direito a truque de sombras.


A participação de Forest Whitaker, como o agente do FBI John Bannister é que foi muito mal utilizada. Ele não faz mais do que ser enganado por Gabriel - e só isso mesmo. Para os brasileiros, há ainda a (boa) participação de Rodrigo Santoro, como um ex-militar/prisioneiro que resolve ajuda Ray a defender a cidade do perigoso criminoso. Afinal, Ray precisa de ajuda. Pouca, mas precisa.

Enfim, esperem o de sempre em O Último Desafio: ação, tiro, sangue, Arnold Schwarzenegger como Arnold Schwarzenegger e, como não poderia faltar, BRIGA!!!! Afinal, o que seria de um filme desses se os machões não deixassem as armas de lado e partissem para uma velha e inteligente disputa de socos e golpes de WWF?

Ou seja, mais do mesmo Arnold, please!
Bruno Schmidt  
Bruno Schmidt, vascaíno fanático, cinéfilo, devorador de livros, viciado em TV e internet - no celular. Redator publicitário, marquestista - não marqueteiro -, marrento e... petropolitano. Com ele o papo é sobre cinema, livros e TV. Mas sem cerveja, ok?!
FacebookTwitter
>

2 comentários:

Serginho Tavares disse...

E ainda tem aquelas frases de efeito que só o Arnold consegue dizer? Huahuahuahua

Wagner Pacheco disse...

O ex Governor, não agradou muito dessa vez!!!

Share