5 de fev de 2013

As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky





Eu dei a dica na minha resenha do filme As Vantagens de Ser Invisível de que tinha comprado o livro no qual o filme foi baseado, assim que terminei de assistí-lo. Eu me apeguei tanto a Charlie, Sam e Patrick, que tinha de saber mais sobre eles, mesmo que fosse mergulhando na obra original. E, depois de terminada a leitura, tenho de me perguntar: por que eu não li esse livro antes?

Escrito por Stephen Chbosky, que é um roteirista mais conhecidos por seu trabalho em séries de televisão (como Jericho) e que também dirigiu o filme originado pelo livro, As Vantagens de Ser Invisível foi lançado em 1999 e está para os jovens americanos de hoje o que O Apanhador no Campo de Centeio esteve para sua geração. Ou seja, tem uma responsabilidade e tanto. Mas, convenhamos, dá conta direitinho do recado.

A trama é simples e envolvente: o jovem Charlie acaba de entrar para a high school (o ensino médio americano), acabou de perder um amigo que se suicidou, é um tanto quanto dado à instrospecção e à depressão e não consegue se encaixar no meio em que está inserido. Depois de ouvir uma conversa qualquer sobre o comportamento de um homem não identificado (por nós), decide escrever cartas anônimas para ele, contando o seu cotidiano e suas angústias adolescentes. As cartas de Charlie funcionam como um diário para ele, mas com o diferencial de que elas são lidas por alguém que pode ou não se identificar com ele.

É através das cartas de Charlie que conhecemos o seu mundo, sua família e seus amigos. Porque sim, apesar de introvertido, Charlie acaba conhecendo o casal de "irmãos" Patrick e Sam e aceito por seu grupo de amigos. Assim, acaba experimentando as aventuras da adolescência, como o primeiro amor, o contato com as bebidas e as drogas e as primeiras grandes decepções da vida.

Como o que estamos lendo são cartas, o texto de Stephen Chbosky é todo narrado em primeira pessoa, como se fôssemos nós os destinatários das correspondências de Charlie. Com um estilo delicioso de escrita, vamos devorando, carta a carta, as aflições de Charlie, seus risos e pequenas vitórias na vida, além dos problemas padrão de qualquer adolescente. E, claro, mergulhamos no mundo um tanto quanto disfuncional de Charlie, com seus pensamentos confusos e altos e baixos emocionais.

De leitura rápida e apaixonante, As Vantagens de Ser Invisível fala por toda uma geração que não conviveu com aparelhos de telefone celular, computador ou  jogos de videogame. Fala de uma época em que ganhar uma máquina de escrever era o máximo e gravar uma fita K7 com as músicas que você mais gostava para dar de presente para outra pessoa era uma demonstração de enorme carinho.

Fato é que é impossível não se envolver com a vida de Charlie, querendo em vários momentos conhecer efetivamente aquelas pessoas e fazer parte de suas vidas. As Vantagens de Ser Invisível é o tipo de livro que nos pega de jeito e continua habitando a nossa mente mesmo depois de encerrada sua leitura. É livro para ser lido e entrar para qualquer lista de melhores que por ventura venha a ser feita. E fez isso com louvor, com a vantagem de ainda nos deixar com um gostinho e uma vontade enorme de também nos sentir infinitos. Como Charlie, mesmo que por alguns poucos minutos.
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

2 comentários:

Artur Lima disse...

Me faço a mesma pergunta, como não li antes? É muito prazeroso a leitura, Charlie é um personagem que com certeza temos fácil identificação, e faço uma ressalva que o filme ficou muito bom também...Como bem disse o colunista desta matéria, Realmente temos vontade de ser infinitos!

Ariadny Theodoro disse...

Muita vontade de me sentir infinita. De longe, um dos melhores livros que já li na vida. É simples e incrível ao mesmo tempo.

Estou simplesmente apaixonada pelo Charlie, vou assistir a adaptação agora e tenho certeza que não irei me decepcionar *-*

Share