18 de fev de 2013

Primeiras Impressões: The Following





Uma das apostas da temporada e atual sucesso entre as novas séries americanas, The Following chega ao Brasil na próxima quinta-feira, 21/02, a partir das 22h45, na Warner. Assim, com quatro episódios exibidos nos EUA e já assistidos por mim, o PdB pede licença para das as suas Primeiras Impressões sobre a série estrelada por Kevin Bacon e James Purefoy. E só posso dizer algo para vocês: se ainda não viram, assistam! 

Criação de Kevin Williamsom, de sucessos na televisão (como Dawson's Creek e The Vampire Diaries) e no cinema (como a série Pânico), The Following tem uma premissa interessante: depois da fuga do serial killer Joe Carrol da prisão, o agente Ryan Hardy é novamente chamado para ajudar a capturá-lo já que 10 anos antes ele havia sido o responsável pela prisão do assassino. Entretanto, essa fuga torna-se uma verdadeira caça a diversos assassinos, já que Joe passou os últimos 10 anos recrutando fãs e montando uma verdadeira seita de potenciais assassinos para dar vazão a um plano de vingança contra o agente Ryan. 

Com um piloto excelente e que serve mais como um prólogo para a história, já que Joe foge, mas é novamente preso no fim do episódio, The Following nos prende de cara com seu clima meio noir e personagens envolventes. Mais do que isso, não termos certeza nenhuma sobre quem é mocinho ou vilão entre os personagens é um convite e tanto para usarmos nosso lado detetive e tentarmos também, ao lado de Ryan, a montar esse quebra-cabeças.


Primeiro trabalho de Kevin Bacon na televisão, The Folling marca também o primeiro grande papel do ator como um protagonista mocinho. Dono de uma imensa galeria de vilões no cinema, na série ele dá vida ao atormentado Ryan Hardy que, mesmo depois de prender o Joe Carrol interpretado por James Purefoy, viu sua vida desgringolar de maneira épica. Quase morto por seu arqui-inimigo com uma facada no coração, Ryan usa um marca-passo e teve um caso com Claire Matthews (Natalie Zea), ex-mulher de Joe, com quem se envolveu depois da prisão do assassino. Alcóolatra, não é respeitado pelo FBI que, entretanto, tem de engolí-lo no caso, já que é a pessoa  viva que mais conhece a mente de Joe.

Com uma atuação ora contida ora explosiva, Kevin Bacon dá conta do papel e vem colhendo elogios por sua interpretação. O passado do personagem é bastante explorado e entender a cabeça de Ryan, mais do que a de Joe, é um ótimo exercício para o telespectador.

Com um roteiro afiado e cheio de reviravoltas, The Following é mais um bom trabalho de Kevin Williamson, que trata de um assunto que conhece bem. Ele, que revitalizou o gênero terror adolescente com a série Pânico, aqui apresenta uma trama complexa, com personagens que se descortinam episódio a episódio e, pelo menos no início da série, ninguém tem a garantia de permanecer vivo até o final. Acusada de violenta pela crítica americana, a série tem bons momentos e empolga exatamente por ser bastante "real" em seu desenvolvimento.


Contando com flashbacks que se revezam com a narrativa dos dias "atuais", a trama tem o atrativo a mais de contar com a obra do escritor americano Edgar Allan Poe como base e mestre criativo do assassino Joe Carrol. Fã do escritor, o vilão se inspira em sua obra para arquitetar seus assassinatos e recrutar fiéis para sua seita macabra. 

Ousada e viciante, The Following parece ter fôlego para nos deixar presos durante toda uma temporada. Resta saber se Kevin Williamsom e sua trupe de colaboradores terá pique para continuar inserindo cliffhangers diversos a cada episódio e mantendo nossa atenção até o desfecho dessa história.

No geral, a série merece a sua atenção que, certamente, se tornará mais um seguidor, sem trocadilho, dessa envolvente trama, que tem tudo para se tornar um hit da temporada. Só espero que o sucesso não acabe atrapalhando demais a resolução da história e a busca pela audiência não a transforme em algo eterno e sem fim, com mil temporadas desnecessárias e sem sentido. Vamos aguardar!
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


4 comentários:

Shirley disse...

a série parece boa e a critica foi boa, também. só achei que faltou uma palavrinha a mais sobre o purefoy... bjo, Leco! ;-)

Leandro Faria disse...

Poxa, Shi, faltou mesmo!
A química entre o Purefoy e o Kevin Bacon é excelente e o ator está muito bem no papel.
#Fail eu não ter comentado isso, mas estou gostando muito dele em cena também!

Vitor Gomes disse...

Não vou mais ler seus posts de primeiras impressões por motivos de: Deu vontade de começar a assistir mais essa. To com uma lista gigante de coisas pra ver hahaha

Ótimo review Leco!

Ariadny Theodoro disse...

Parafraseando meu amigo Vitor: Não leio mais suas Primeiras Impressões Leco. Poxa vida, fiquei apaixonada pelo roteiro e já coloquei pra baixar aqui :)

Share