26 de abr de 2013

Fallen, de Lauren Kate




Depois da obra de Stephenie Meyer, qualquer romance lançado é comparado à trilogia da americana e com Fallen não foi diferente. Chamado de Crepúsculo dos Anjos, a série narra a complicada vida de Lucinda Price, que sofre desde sua infância por estar cercada de estranhas aparições.

Apesar de possuir algumas semelhanças com o gênero espírita, a garota não é assombrada por ver pessoas mortas e sim por sempre estar acompanhada por sombras, que geralmente antecedem acontecimentos desagradáveis.

Depois de ter sido acusada pela misteriosa morte de seu namorado, Luce é enviada ao Reformatório Sword & Cross. Recém-chegada, apesar de sentir-se sozinha, perdida e cheia de dúvidas a respeito do que realmente matou sua antiga paixão, a garota faz alguns amigos e se aproxima das jovens Ariane e Penn.

Logo nos primeiros dias Luce sente um magnetismo com o misterioso Daniel, que faz questão de mantê-la o mais longe possível e ao mesmo tempo uma atração inexplicável pelo divertido e charmoso Cam, que deixa bem claro que está afim da mocinha.

Tudo parece bem, mas alguns acontecimentos e outra morte acabam abalando a estrutura de Luce e dos outros alunos do Reformatório. Nada parece ser o que é e tudo que se apresenta é classificado como anormal.

Sonhos, lembranças de outras vidas e reencarnação. Tudo isso e muito mais está esperando por vocês na história deliciosa, envolvente e diferente escrita por Lauren Kate. Apesar dos elogios, a autora falha ao usar uma linguagem excessivamente juvenil (que pode ser um erro da tradução brasileira... será?) mas nos ganha com a riqueza de detalhes descrita ao longo do livro que, apesar de se desenrolar lentamente, já está me ganhando com a sequência, Tormenta, que em breve também estará resenhada aqui no Pop de Botequim.
Ariadny Theodoro  
Ariadny Theodoro,incansavelmente bipolar e a primeira mulher da trupe do PdB. Apaixonada por literatura, séries de televisão, teatro e fotografia digital, escreve por necessidade de manifestar suas diversas paixões, nem sempre compreendidas pelos demais. Escreve sobre tudo - o bom e o ruim! Afinal, alguém tem de ter a difícil tarefa de alertar ao mundo que nem tudo é sempre bom!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share