25 de jun de 2013

Primeiras Impressões: Saramandaia





Em 1976, ano que Saramandaia foi originalmente ao ar, eu não era nem nascido. Mas, provando o impacto dessa obra de Dias Gomes na cultura popular brasileira, mesmo sem sequer ter assistido à novela, sempre fui familiarizado com nomes como Dona Redonda, João Gibão ou Professor Aristóbolo. Por isso, foi com uma grande curiosidade que assisti à estreia do remake de Saramandaia que a Globo exibiu na última segunda-feira, em um capítulo especial. E, não há dúvidas, parece que vem coisa muito boa para agitar o horário das 23h da nossa telinha.

Ao iniciar as primeiras cenas do remake com ao som de Pavão Mysteriozo (que na novela original de 1976 era a música de abertura), a trama já acenou que o universo fantástico tomaria conta da telinha. E se as chamadas já nos deixavam ansiosos para conhecer os peculiares cidadãos de Bole-Bole, o primeiro capítulo serviu para que ficássemos ainda mais ansiosos para acompanhar essa trama que tem tudo para fisgar os mais diversos telespectadores. 


No município de Bole-Bole, em algum recanto não identificado do Brasil, a cidade está dividida. De um lado, os mudancistas (ou saramandistas, se preferirem) lutam por uma reforma para trocar o nome da cidade para Saramandaia; do outro, os tradicionalistas não querem nem pensar nessa mudança. Assim, Ricardo Linhares atualiza a trama de Dias Gomes para os nosso dias que, por coinciência feliz para a Globo, tem muito em comum com as manifestações que tomam conta do país e dos telejornais, deixando Saramandaia ainda mais atual.

Calcada no realismo fantástico, Saramandaia investe em seus personagens absurdos como metáfora para o que vemos à nossa volta. João Gibão e suas asas; Dona Redonda, que não para de engordar; Tibério Vilar, que por não sair de casa criou raízes; Candinha e suas galinhas imaginárias; Cazuza, que vive sempre com o coração na boca e que, literalmente, ressucitou; professor Aristóbolo e seu logo interior. São tantos e tão incríveis personagens que é impossível não querer saber para onde essa história vai caminhar, afinal, tudo que parece ficção é possível em Saramandaia.

Entre os atores, nomes experientes como Tarcísio Meira, Fernanda Montenegro, Vera Holtz e Ana Beatriz Nogueira, por exemplo, se juntam a outros menos conhecidos como Sérgio Guizé, Chandelly Braz, Laura Neiva e Thais Melchior, e vários outros, estando todos, sem exceção, muito bem em seus respectivos papéis. 


Com suas cores vibrantes (contrastando com a luz um tanto quanto cinza e escura de Amor à Vida) e efeitos especiais divertidíssimos e de tirar o fôlego, Saramandaia deverá ser a culpada de muita gente passar a dormir um pouco mais tarde nas noites entre terça e sexta, os dias oficiais de exibição da nova novela das 23h da Globo. 

Mas, pelo pouco visto até o momento, pode ser que o sacrifício compense bastante, se você é daqueles que curtem uma boa história, contada em um momento mais do que oportuno. #MudaBoleBole

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter
Para receber os artigos do PdB por email e ficar por dentro de tudo que rola em nosso boteco, basta inserir seu contato abaixo e, pronto! Os melhores artigos, servidos de bandeja para você, da maneira mais cômoda e prática da internet:



2 comentários:

Mike disse...

é... essa novela está me custando minutos preciosos de sono...

só não entendi as galinhas de Fernanda Montenegro ainda. Tem algum subtexto ou só é legal mesmo?

samir ahimed disse...

Uma bosta, ter caracterizado, uma atriz para fazer a gorda, foi horrível, devia colocar uma gorda de verdade...... ou caracterizar André Marques (do vídeo show).

Share