21 de jul de 2013

Criador de Glee Fala Sobre a Morte de Cory Monteith e o Futuro da Série



Depois da morte de Cory Monteitth e com a surpresa ocasionada por ela, o futuro de Glee, série em que o ator de 31 anos era um dos protagonistas, virou assunto de diversas especulações. Ryan Murphy, criador da série, finalmente falou sobre o assunto em uma entrevista ao TV Line.

Com a FOX, emissora americana que exibe Glee nos EUA, resolvendo atrasar a estreia da quinta temporada em apenas uma semana, muito foi comentado sobre o que se esperar de Glee. Por isso, confira abaixo alguns trechos da entrevista de Ryan Murphy ao TV Line, falando sobre sua relação com Cory Monteith, como o elenco está reagindo à morte de um amigo e, principalmente, sobre o futuro de Glee.

TV Line: Na sexta-feira, a FOX anunciou que a quinta temporada estreará com o atraso de apenas uma semana, no dia 26 de setembro, o que surpreendeu os fãs. Você não quis falar muito sobre a razão que o fez atrasar por tão pouco tempo a estreia da nova temporada. Algumas pessoas acham que deveria ter um tempo maior. 
Ryan Murphy: Tínhamos algumas opções. Poderíamos cancelar as filmagens até novembro ou até janeiro. Mas o que decidimos fazer pelo nosso elenco e equipe foi começar a filmar com o que já tínhamos escrito. Escrevemos em maio dois episódios dos Beatles, que já estávamos planejando havia quatro anos. Só achamos que seria melhor para todo mundo ficar junto e trabalhar depois de nos recuperar do luto por duas semanas. Mas não tomamos nenhuma decisão sem consultar Lea (Michele, colega de equipe e namorada de Monteith). Cory era tão amado que ela achou que as pessoas precisavam estar juntos neste momento. Então seguimos a vontade dela. 

TV Line: Você vão abordar a falta de Finn nos primeiros dois episódios? 
Ryan Murphy: Acho que não. Vamos ao ar com dois episódios e estamos escrevendo o terceiro, que deve abordar a morte de Finn, que vocês podem imaginar que é muito difícil de escrever. Tem que ser feito com muito cuidado, bom gosto e precisamos ter certeza de que seja um tributo a Cory. Precimos saber como as pessoas estão se sentindo. É um momento louco, difícil e emocional. O que estamos tentando fazer é lidar com isso como uma família. Lea está sofrendo, obviamente, mas ela é a pessoa mais forte que conheço. Ela quer que as pessoas fiquem bem e voltem a trabalhar. 

TV Line: Então Lea vai voltar à série no início da quinta temporada, incluindo os episódios dos Beatles? 
Ryan Murphy: Sim, ela quer ficar com as pessoas. A família Glee é a família dela. Ela quer estar com a equipe e o elenco. 


TV Line: Você disse que tem falado com Lea. As pessoas estão curiosas para saber como ela está lidando com tudo isso. 
Ryan Murphy: É uma coisa muito trágica. Tem sido muito difícil para todos nós, incluindo Lea, amar alguém que tem um vício. É uma coisa que todos nós vínhamos lidando há muitos meses. É uma doença infelizmente. Assim que soubemos, fizemos uma intervenção com Cory, que Lea estava tratando 100% com amor e tentando fazê-lo se recuperar, dizendo “Não se preocupe com seu trabalho. Você sempre vai ter um trabalho. Não se preocupe com o medo. Não se preocupe com a vergonha. Só se preocupe em ficar bem e mais forte”. Ele era como um filho para mim. 

TV Line: Você achava que ele estava bem? 
Ryan Murphy: Todas as informações eram de que estava muito bem. Eu falei com ele, que estava muito grato. Lea estava se dedicando a salvar a vida dele, ajudar no que ele precisasse. Acho que para todos, incluindo para mim e para ela, é uma coisa chocante. Aconteceu tão rapidamente e sem avisos, como acontece com tanta gente... Nunca conheci uma garota ou garoto de 26 anos que tenha conseguido passar pelo que ela está passando nas últimas semanas. 

TV Line: Você tem alguma lembrança de Cory que exemplifique quem ele era pra você? 
Ryan Murphy: A coisa que mais me incomoda é a escuridão que o abateu, porque era o oposto da pessoa que eu conheci e tentei salvar. Foi muito difícil para o elenco. A primeira vez que vi Cory, foi em uma gravação em que ele estava tocando bateria em potes de plástico. Mas ele estava na primeira cena que eu gravei quando dirigi o piloto de Glee. Foi uma cena com o Mr.Schue e Finn, quando estavam no escritório de Mr.Schue e ele estava sendo repreendido. Foi um piloto muito estranho e era musical, o que ninguém tinha feito com sucesso. Então as pessoas estavam nervosas. Eu estava nervoso. E lembro que depois de seu primeiro take, ele veio até mim e disse ‘Isso vai ser divertido’.

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter
Para receber os artigos do PdB por email e ficar por dentro de tudo que rola em nosso boteco, basta inserir seu contato abaixo e, pronto! Os melhores artigos, servidos de bandeja para você, da maneira mais cômoda e prática da internet:

0 comentários:

Share