10 de out de 2013

Os Adoráveis, de Sarra Manning






Conhecem a máxima que diz que "os opostos se atraem"? Pois é exatamente esse o ponto de partida e guia de Os Adoráveis (Adorkable, no original), da autora inglesa Sarra Manning e lançamento da Editora Novo Conceito no Brasil. E o interessante é que apesar da cara de romance juvenil, o livro consegue ser bem mais acabado que muitos de seus iguais e, provavelmente, agrada a um público bem mais amplo.

A história é realmente simples e, por isso mesmo, a forma como Sarra Manning a conta é o grande diferencial do livro. Jeane é um blogueira famosa, que escreve sobre moda e estilo de vida, mas que na verdade é uma pessoa sem muito trato social e que não tem nenhum amigo real. Enquanto isso, Michael é o garoto popular, focado, e por quem todas as garotas da escola são completamente apaixonadas. Em comum, Jeane e Michael tem apenas uma coisa: seus ex-namorados os trocaram para ficarem juntos. É previsível, eu sei, mas a história realmente empolga e quando ambos os protagonistas finalmente começam a se envolver, é impossível resistir a eles.

Sarra Manning é esperta e estruturou seu livro de forma a que um capítulo é narrado sob o ponto de vista de Jeane e o seguinte, sob a ótica de Michael. Então é fácil se identificar com um e com outro enquanto embarcamos juntos na história do casal que, feito cão e gato, brigam, mas tem uma química impressionante juntos.

Com personalidades bem definidas desde o início de Os Adoráveis, Jeane e Michael são ao mesmo tempo irresistíveis e insuportáveis. E, por serem tão diferentes entre si, acabam conquistando o leitor que ora pode se identificar com um, ora pode querer ser amigo do outro, enquanto se encanta pelas paisagens inglesas descritas pela autora (e até mesmo Nova York tem uma importante participação especial na história).

Honesto, cativante e irresistível, Os Adoráveis tem tudo para lhe proporcionar bons momentos de leitura descontraída, apresentando uma trama que, apesar de seus clichês, sabe muito bem conquistar e emocionar.

No fim das contas, não importa se você é um outsider ou o mais popular da classe. O que importa é você ser você mesmo e dar valor a quem você é. Ser dork é legal. Mas ser você mesmo é bem melhor!

Autora: Sarra Manning
Páginas: 384
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

1 comentários:

São disse...

Dá a impressão , sim, de ser um romance bem esquiçado.

Grato abraço, meu bem

Share