18 de nov de 2013

Glee - 05x05 - The End of Twerk




Sendo pop e atual, mesclando os assuntos do momento com uma boa dose de conscientização. De vez em quando Glee consegue atingir seu objetivo e deixa de ser apenas diversão descompromissada, dando um bom recado que pode nos deixar pensando em tudo aquilo que seus criadores quiseram passar. Em The End of Twerk foi exatamente assim.

Usando o Twerk como pano de fundo, o episódio falou sobre algumas polêmicas recentes (beijo Miley Cyrus, com direito a música e tudo!) e ainda arranjou tempo para falar sobre um assunto interessante: a inadequação de Unique com o banheiro que era obrigada a usar no McKinley. Pra uma série adolescente tá ou não de bom tamanho?

Decididos a inovar na competição nacional, o New Directions se prepara para arrasar no Twerk, que nada mais é que o bom e velho rebolado, que Beyoncé e demais divas atuais não se cansam de exercitar. Claro que a velha Sue Sylvester vê nisso um atentado (ou um bom motivo para implicar com Will) e resolve intervir, causando confusão.


É no meio disso que Unique vive seu drama de trangênero adolescente. Afinal, ela é um menino que se veste de menina e se identifica mais com o gênero feminino. Que banheiro usar? O assunto rendeu e nos presenteou com a mais bela apresentação musical do episódio, com If I Were a Boy, que ganhou um toque bem diferente da original de Beyoncé. #EuCurti

Ainda no McKinley, Marley finalmente descobriu a traição de Jake. Bem, "descobrir" é modo de falar, já que se não fosse Bree contando, a patetinha ficaria eternamente acreditando em Jake. Tolinha, né? Mas achei boa essa traição. Não me entendam mal, mas acho que Marley formará um casal bem mais bonitinho (e insosso) com Ryder. Duvidam? Nem revoltada e cantando Wrecking Ball a menina consegue deixar extravasar seu lado Miley Cyrus, povo!


Em Nova York, ainda aprendendo a lidar com a morte de Finn, Rachel está tentando seguir adiante. Para isso, "ousou" mudando o visual com um pseudo corte de cabelo e levou Kurt para fazer uma tatuagem. A história foi bobinha, mas me diverti com a frase errada de Kurt que teve de ser consertada. No final, vimos que Rachel também se tatuou com um sutil e singelo Finn na costela. Não é meigo?

A confusão toda do Twerk e do banheiro unissex no McKinley serviu apenas para que Will se tocasse do óbvio para o New Directions: back to basics, é claro! Pra que inventar, querendo ser o que não são para tentar vencer as nacionais?

Acho que nos próximos episódios veremos apenas isso: o bom e velho New Directions se preparando para disputar as Nacionais com o que tem de melhor, suas vozes e talento. Veremos!
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

0 comentários:

Share