5 de dez de 2013

Morto Até o Anoitecer, de Charlaine Harris




Quando o sucesso de Crepúsculo invadiu os cinemas, as séries televisivas investiram no filão dos vampiros, com resultados diversos, dependendo do público a que essas séries se destinavam. Voltada para o público adulto e com uma grande dosagem de sensualidade (e sexualidade) True Blood caiu nas graças da audiência, com sua trama envolvente, trazendo para o universo dos vampiros uma verdadeira alegoria para o mundo real. O que muita gente não sabe é que a série é originada do primeiro livro de uma aclamada série literária escrita pela americana Charlaine Harris que eu, anos depois de conferir a série, finalmente comecei a ler.

Primeiro volume da série literária estrelada por Sookie Stackhouse, Morto Até o Anoitecer (Dead Until Dark, no original) foi lançado originalmente em 2001 nos EUA e apresenta o mundo criado por Charlaine Harris aos leitores que por ventura não conheçam nada sobre a série televisiva. Aqui, os vampiros "saíram do caixão" e vivem entre os seres humanos, inclusive com garantias constitucionais, depois da invenção de um sangue sintético. Agora, eles não precisam matar e se esconder nas trevas e podem levar vidas "normais", apesar de grande parte da população ainda terem medo deles - com alguma razão.

Sookie, a protagonista da história, é uma garçonete da cidade de Bon Temps. Aparentemente normal, ela seria apenas mais uma loira peituda se não possuísse um dom: ler a mente das pessoas. Com a chegada de Bill Compton, um vampiro centenário, à cidade, a vida de Sookie muda de ponta-cabeça, principalmente quando um serial killer surge na região matando mulheres que se relacionam com vampiros.

Com o mesmo enredo da primeira temporada de True Blood, é interessante notar que o sangue sintético do livro não tem o nome da série. Na verdade, ele nem mesmo tem um nome nesse primeiro livro, o que achei interessante. Além disso, personagens destaque da história televisiva sequer aparecem no primeiro volume de As Crônicas de Sookie Stackhouse (um dos nomes não oficiais da série literária, que também é conhecida como Os Mistérios do Vampiro Sulista), o que faz cada uma das obras, a televisiva e a literária, terem o seu próprio charme.

Narrando com segurança a história, Charlaine Harris constrói seu universo com incrível habilidade, nos fazendo ficar viciados na trama que narra. Tendo como narradora da história a protagonista Sookie, é um exercício interessante notar como a trama do livro acabou na televisão, com as sutis diferenças empregadas e a forma como ambos, livro e série, são igualmente viciantes.

O problema é apenas um: como se trata de uma série literária, é impossível terminar a leitura de Morto Até o Anoitecer sem ficar ansioso para saber o que acontece a partir do ponto em que a história acaba. Ou seja, prepare-se para se enveredar pelo mundo criado por Charlaine Harris. Eu, pelo menos, já estou ansioso para achar tempo para começar a leitura de Vampiros em Dallas, o segundo volume dessa história.

Autora: Charlaine Harris
Páginas: 316
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

0 comentários:

Share