30 de jan de 2014

A Garota do Penhasco, de Lucinda Riley




Se A Garota do Penhasco, livro lançado no Brasil pela Editora Novo Conceito, escrito por Lucinda Riley, fosse adaptado para a TV brasileira, certamente seria uma novela como as grandes sagas de Benedito Ruy Barbosa ou os emocionantes dramas familiares de Manoel Carlos; talvez, quem sabe, uma minissérie histórica com várias fases, como as de Maria Adelaide Amaral.

A história narrada em terceira pessoa pela escritora irlandesa Lucinda Riley é tão envolvente e detalhada que é quase impossível não vermos as cenas e as interpretações nitidamente em nossa imaginação, como se estivéssemos em frente à uma grande tela de cinema ou no sofá de casa em frente à televisão.

A Garota do Penhasco discorre em suas 528 páginas sobre a rivalidade entre duas famílias: os Ryan e os Lisle. Tudo começa quando Grania Ryan, vinda de Nova York, após fugir do marido Matt sem lhe dar satisfação, depois de sofrer um aborto de filho profundamente desejado, refugia-se na fazenda dos pais na Baía de Dunworley, no interior da Irlanda.

Neste lugar cercado pelo mar e imponentes penhascos, a escultora Grania, durante um passeio pelas redondezas, depara-se com a figura frágil de uma menina, perigosamente próxima da borda de um penhasco. Ao tentar salvar a garotinha de um escorregão para a morte, a menina foge assustada como se despertasse de um transe. Mexida com a cena que acabara de presenciar e sem nada entender, Grania nem imagina que a menina é uma Lisle, a pequena Aurora Lisle.

Totalmente alheia à rivalidade entre as duas famílias, com o passar dos dias Grania cria um forte laço de afeto com a esperta e encantadora Aurora. A menina, órfã de mãe, desencadeia na família Ryan lembranças e memórias dolorosas que irão fazer com que a rivalidade que perdura por décadas seja dissipada de uma vez por todas.

Mas para fazer as pazes com o passado e o amor triunfar entre os clãs Ryan e Lisle após anos de ingratidão, mágoas e desgraças, mergulha-se em uma longa e emocional, porém gratificante viagem por três gerações que vai dos anos 1920 a 2011. Uma viagem quase onírica, onde ao embarcar é necessário certa dose de sensibilidade e total entrega.

A Garota do Penhasco é uma leitura que vai te fazer sentir muito melhor logo após o ponto final. 

A Garota do Penhasco
Autora: Lucinda Riley
Páginas: 528
Editora: Novo Conceito
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Esdras Bailone: leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

0 comentários:

Share