13 de mar de 2014

Clube de Compras Dallas, de Jean-Marc Vallée




Em 1985, Ron Woodroof, um eletricista másculo, viril e heterossexual de Dallas, que nas horas de lazer participava de rodeios e se entorpecia com mulheres e drogas, foi diagnosticado com o vírus da AIDS. Mais assustador e inacreditável que isso, numa época em que a doença era absolutamente associada à homossexuais, é o prognóstico dado pelo médico de que ele terá no máximo 30 dias de vida.

Descrente de sua condição de soro-positivo, Ron prefere ignorar seu diagnóstico. Mas, com o passar dos dias, vai em busca de mais informações sobre a doença, descobrindo que realmente se encaixa no grupo de risco dos que estão sujeitos à infecção. Inconformado com a previsão de apenas 30 dias de vida, Ron procura a dra. Eve Sacks, uma jovem médica que cuida dos doentes de AIDS, e pede que ela lhe dê a medicação necessária. Porém, vive-se os primeiros momentos dessa epidemia e os Estado Unidos estão divididos em como combater o vírus. O AZT ainda está sendo testado e não é liberado pra todos os pacientes.

Desesperado, Ron consegue através de um enfermeiro do hospital algumas caixas da medicação, mas sem saber como ministrar o remédio o ingere indiscriminadamente, até descobrir que pacientes estão morrendo mais rápido porque os médicos tem ministrado o medicamento na dose incorreta. É quando, impedido de tomar os remédios, que agora são controlados pela instituição, Ron obtém por meio do mesmo enfermeiro um endereço no México onde tem acesso a uma série de tratamentos alternativos, através de um coquetel de medicamentos e vitaminas muito mais eficaz que o AZT. Junto com esta receita ele recebe o DDC, um antiviral ao estilo do AZT, mas muito menos tóxico.


Com a melhora e o conforto trazidos pelo tratamento, Ron cria uma operação de tráfico desses medicamentos, na época ilegais, formando assim o Clube de Compras Dallas. Com a ajuda da transexual Rayon, o caubói até então homofóbico, forma uma parceria improvável, que acaba beneficiando grande parte da população vítima do HIV. 

Neste processo, Ron acaba se tornando um herói, pois o que começa com sua luta pra sobreviver, passa pelo interesse financeiro, quando os sócios do clube começam a aumentar cada vez mais e culmina em um interesse genuíno de ver aquelas pessoas, com quem ele cria um laço de sobrevivência, ficarem bem e felizes mesmo totalmente estigmatizadas. O que o leva a batalha nos tribunais contra a FDA pelo direito de continuar mantendo seu clube de compras.

Clube de Compras Dallas (Dallas Bayer Club, no original) é dramático e emocional, um filme de grandes interpretações que deu a Matthew McConauguey e Jared Leto os Oscars de Melhor Ator e Ator Coadjuvante, respectivamente, na cerimônia da Academia de 2014. Os atores se entregaram de corpo e alma a seus personagens e ficaram assombrosamente perfeitos. Jennifer Garner, como a médica Eve, dá o toque feminino e delicado num filme de interpretações basicamente masculinas e também está muito bem.

Uma história real sobre os bastidores do início do tratamento da AIDS nos EUA, seco, duro e absolutamente interessante, que te intima logo de cara, quando você vê o cartaz: Ouse viver!

Ron Woodroof ousou e viveu contra todas as expectativas não 30, mas 2555 dias. E você está esperando o que?
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Esdras Bailone: leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

0 comentários:

Share