15 de abr de 2014

Capitão América 2 - O Soldado Invernal, de Anthony e Joe Russo




Incrível. É exatamente assim que posso descrever Capitão América 2 – O Soldado Invernal. Os Studios Marvel dessa vez realmente superam as expectativas ao fazer um filme maduro, coerente e ainda assim divertido, conseguindo também manter toda uma ligação com os filmes anteriores e os que estão por vir e também com o seriado Marvel Agents of S.H.I.E.L.D.

Em Captain America: The Winter Soldier, no origial, a aventura do Capitão se passa dois anos após os eventos ocorridos em NY na aventura Os Vingadores e vemos Steve Rogers adaptando-se ao mundo moderno e ainda trabalhando para S.H.I.E.L.D. 

Depois de uma missão conjunta com a Viúva Negra, Steve parte em busca de Nick Fury, procurando respostas por segredos ocultos a ele. Logo, o poderoso líder da misteriosa agência lhe fornece respostas para suas duvidas, o que faz o Capitão questionar realmente o que é liberdade neste mundo moderno.


O filme do Marvel Studios fala de vigilância, guerra ao terror e do Ato Patriótico, que dá poderes aos departamentos de espionagem como medidas preventivas de ataques. Nada melhor, portanto, que usar a S.H.I.E.L.D. de Nick Fury, a maior organização de espionagem da Marvel, como pano-de-fundo para uma trama repleta de reviravoltas, segredos governamentais e conspirações. 

O principal mérito do filme está em oferecer vários personagens e, ao mesmo, tempo não se perder no desenvolvimento da história. Peggy Carter (Hayley Atwell), Sharon (Emily VanCamp), Maria Hill (Cobie Smulders), Arnim Zola (Toby Jones) e até mesmo Howard Stark (Dominic Cooper) são vistos em cena, mas sem diminuir o ritmo do longa. A grande novidade no elenco é Robert Redford como Alexander Pierce, principal nome da S.H.I.E.L.D. e grande amigo de Fury. O talento do veterano ator é colocado em prol de um personagem complexo e de motivação misteriosa. 

O vilão do titulo do filme realmente faz jus a sua fama e é um inimigo à altura do emblemático herói, com um mistério que logo é revelado e podemos ver as vulnerabilidades de Steve. As cenas de ação empolgam o espectador com devida qualidade e cortes rápidos. Volto a dizer que a Marvel trata muito bem seus personagens; é espetacular ver o cuidado que tem com os seus universos.


A trama ainda tem um alivio cômico característico da Marvel e a presença de Stan Lee esta lá. As cenas bem humoradas com a Viúva são excelentes; aliás, creio que a heroína sensual mereça um filme solo, pois é uma personagem misteriosa e fundamental na trama que a Marvel constrói. 

Por fim, recomendo esse excelente filme e aviso aos menos familiarizados com os filmes da Marvel: esperem até o fim, uma vez que tem duas cenas pós créditos que farão a ligação com Vingadores 2 – A Era de Ultron, e abrem espaço para um terceiro filme do Capitão América.

Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter

0 comentários:

Share