1 de abr de 2014

Ou Você Poderia Me Beijar, com Cláudio Curi e Roney Facchini




São Paulo é verdadeiramente um celeiro artístico e cultural, onde se encontra nos lugares mais recônditos da cidade opções que são joias preciosas. Prova disso é o espetáculo teatral Ou Você Poderia Me Beijar, de Neil Bartlett e Handspring Puppet Company, dirigido por Zé Henrique de Paula.

O enredo se passa em Porto Elizabeth (África do Sul). Somos apresentados aos velhos Senhor A e Senhor B pela empregada de ambos. O Velho A retorna do hospital à sua casa, com seu já convalescente companheiro Velho B, que sofre com um enfisema pulmonar bem avançado. A ação da peça começa.

Ou Você Poderia Me Beijar é um quebra-cabeças que se inicia no futuro, em 2029, para nos narrar a história de amor de A e B, ambos com 79 e 78 anos respectivamente. No tempo presente (1994), aos 40 e poucos anos, eles se veem projetados num melancólico futuro e relembram com prazer e alegria o passado, quando se conheceram aos 19 anos e se apaixonaram. Descrito dessa forma parece um pouco confuso, mas não é.

Simplificando: no inverno de 2029, em um apartamento em Porto Elizabeth, dois velhos buscam por uma maneira de dizer adeus, depois de uma vida inteira que passaram juntos como um casal. No mais perfeito verão de 1971, de uma forma muito diferente, os mesmos belos jovens buscam coragem para se entregar à paixão. E, equilibrado a meio caminho entre essas duas histórias - uma imaginada, outra lembrada, seus homólogos da vida real, no auge da maturidade, assistem e testemunham o começo e o fim de uma jornada incrível.

Cheia de poesia e delicadeza, a peça trata de homossexualidade, terceira idade e direitos civis. A assistência que a sociedade oferece aos idosos e os direitos civis dos homossexuais são temas permanentes neste jogo de memória dos mais incomuns. Numa sociedade em que cada vez mais os direitos civis dos homossexuais entram na pauta diária das discussões, Ou Você Poderia Me Beijar representa um corte analítico nessa reflexão.


Mas há de se pesar outro aspecto da peça, pouco discutido artisticamente: os gays e a terceira idade. Trazendo o casal de gays idosos à condição de protagonistas do drama da morte iminente, a peça abre seu leque de discussão para outros âmbitos: Como é ser gay aos 80? Onde a sociedade insere o casal gay idoso? Será que ela o insere?

Com uma produção linda e caprichada, apesar de modesta, e um elenco entregue e emocionado, Ou Você Poderia Me Beijar é um elogio ao amor, com tudo o que ele tem de sublime. É também uma reflexão sobre todas as dificuldades de nutrir esse amor ao longo do tempo. E, às vezes, essas dificuldades não estão dentro de nós, mas nos outros - agindo insidiosamente na forma de preconceito, intolerância e segregação.

Com tantos momentos de encher os olhos e o coração, um dos mais emocionantes é quando o nome da peça se justifica em um diálogo pulsante entre o velho casal.

O elenco, formado por Cláudio Curi (Velho A), Roney Facchini (Velho B), Marco Antônio Pâmio (A Maduro), Rodrigo Carvalho (B Maduro), Thiago Carreira (Jovem A), Felipe Ramos (Jovem B) e Clara Carvalho (Empregada), merecem muitos aplausos, com destaque para Roney, Marco Antônio e Clara pelas interpretações intensas, e Cláudio e Thiago que, além de intérpretes, são ótimos cantores, além de Rodrigo e Felipe, por serem lindos.
"A peça retarda o tempo, enfatiza a particularidade de cada momento e mostra a força dramática do silêncio: muito comoventemente quando os dois velhos, reconhecendo a iminência da morte, vão assinar seus testamentos e sentam-se, olhando-se em silêncio angustiados pontuados por espasmos de dor." - The Guardian
Serviço:
Teatro do Núcleo Experimental
De 08 de fevereiro a 27 de abril de 2014
Sexta e Sábado 21h / Domingo 19h
Preço: 40,00
E você, curtiu o Pop de Botequim e quer colaborar com a gente? Se gosta de cultura pop, aprecia escrever e quer ser lido, não perca tempo e mande já um email pra gente! Vai ser um prazer ter você em nosso botequim! Entre em contato já e saiba como participar! Aguardamos seu contato através do nosso email: popdebotequim@gmail.com

Leandro Faria  
Esdras Bailone: leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

1 comentários:

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Vi a dica no HHeP, conferi hoje e amei! Bela resenha!!

Share