8 de mai de 2014

Primeiro Amor, de James Patterson e Emily Raymond





Famoso escritor best seller, James Patterson é daqueles que vive na lista dos mais vendidos. Por isso, antes de mais nada, preciso esclarecer que havia lido apenas um único livro anteriormente do autor: Bruxos e Bruxas. Achei a história ok, mas o clima muito adolescente e o fato de tratar-se de mais uma série literária acabou me afastando de sua continuação e outras obras de James Patterson. Assim, foi pensando no que ficou em minha memória sobre Bruxos e Bruxas que evitei o máximo que pude começar a leitura de Primeiro Amor, do mesmo autor. E, confesso, dei bobeira, pois o livro, lançado pela Editora Novo Conceito, não lembra em nada o que li anteriormente e consegue a proeza de surpreender e enternecer. 

Para começar, preciso dizer que tenho certeza absoluta que os livros de James Patterson não são escritos por James Patterson. Porque é humanamente impossível que um autor seja tão prolífico quanto ele. Fora que TODOS os seus livros são lançados em co-autoria, normalmente por autores pouco conhecidos do grande público e que levam consigo a alcunha de ghost writers. Acho muito que os livros de James Patterson são inteiramente escritos por esses autores coajuvantes que, como prêmio, ganham assim a oportunidade de ver seus nomes estampados na capa de um livro, mesmo que em fontes menores e relegados a segundo plano. Coisas do mundo dos negócios, é claro!

Mas, deixando minhas especulações à parte e falando especificamente sobre Primeiro Amor, a trama do livro é bastante interessante. Inicialmente parecendo tratar-se de um road book, o livro até que tenta nos fazer viajar junto com seus personagens por destinos diversos dos Estados Unidos. Entretanto, o que realmente passa a importar de sua metade até o final  é a história de amor alardeada na capa e um desenrolar a la Nicholas Sparks que, confesso, me surpreendeu, mas que não vou falar mais para não gerar spoilers indesejados.

O que interessa: Axi Morre é uma adolescente chatinha certinha e estudiosa que, um belo dia, resolve se rebelar. Para isso, convida seu melhor amigo, o impulsivo Robinson, para uma viagem pelos EUA, sem deixar explicações para trás e vivendo um dia de cada vez, seguindo apenas um roteiro de cidades e lugares que merecem ser visitados. É claro que durante a viagem o primeiro amor do título do livro irá aflorar e ambos se entregarão a uma paixão que, não fosse um impecilho da vida, seria como diversas outras.

Com capítulos curtos e usando uma linguagem de fácil assimilação (principalmente para os adolescentes e jovens, público alvo do "autor"), Primeiro Amor é bobinho, mas no bom sentido da palavra. A história é doce e envolvente e será impossível largar o livro sem pensar em sua própria vida e nas muitas voltas que ela dá.

Terno, Primeiro Amor não vai mudar a vida de ninguém, o que acredito não ser nem mesmo o seu objetivo. Mas, certamente, será um bom companheiro para momentos de leitura e descontração, aliados a uma boa dose de emoção pura e sutil. Vale a viagem! ;-) 

Autores: James Patterson e Emily Raymond
Páginas: 240

Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter

1 comentários:

Betania Brasil disse...

Eu uma entrevista do James Patterson na Rollings Stones...e ele diz que apenas esboça as ideias...tipo um resumo da história que pensou...mas que daí passa pra outras pessoas escreverem os textos...segundo ele é porque ele não consegue se concentrar em detalhes pra terminar de escrever os livros...
Tipo...acho estranho e não considero literatura...mas tudo bem...hehehe

Share