17 de jun de 2014

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, de Benjamin Alire Sáenz



Por incrível que pareça, quando peguei na mão pela primeira vez o livro Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, já senti que a obra marcaria minha vida, assim como tantas outras que já me encantaram e hoje são minhas referências. Escrito por Benjamin Alire Sáenz, o livro é narrado pelo personagem principal, Aristóteles, um garoto de quinze anos que não tem amigos (e nem faz questão de tê-los), é apaixonado pela solidão e se sente totalmente diferente do resto do mundo.

Ari, como é chamado pelos demais personagens, tem sua vida completamente modificada depois de conhecer Dante, um rapaz da mesma idade, que também tem as mesmas frustrações e dúvidas sobre o universo e as pessoas.

A partir daí acompanhamos a rotina dos dois grandes amigos e todos os "desafios" de ser adolescente, e as questões que parecem infinitas nessa fase, como o primeiro beijo, o primeiro emprego, problemas com a família, primeiro amor e todos os dramas que somos obrigados a passar na transição para a vida adulta.

Com uma visão delicada, Benjamin consegue abordar tabus sem abusar da polêmica e ainda é capaz de conectar o leitor com os personagens, nos fazendo sentir como parte integrante da história. E o mais legal do livro são as filosofias do jovem Aristóteles que, de vez em quando, descrevem aqueles dias que todo mundo já teve:
"Às vezes, a dor era como uma tempestade que vinha do nada. A mais clara manhã de verão podia acabar em temporal, raios e trovões."
Além disso, a narrativa é simples e doce. O cotidiano de Ari é muito semelhante à nossa rotina, quando alguns dias não acontecem nada e outros parecem ser turbulentos. O descobrimento do amor do personagem pela arte também é fascinante e, a medida que os amigos enfrentam seus próprios problemas, crescem e passam a ser adultos, o laço criado com o leitor se fortifica cada vez mais.

Muito mais que literatura estrangeira juvenil, Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo é tão bom quanto As Vantagens de Ser Invisível e atinge todo e qualquer tipo de público, deixando ainda um gostinho de quero mais. 

No desfecho da história sentimos que os personagens, que pareciam nossos velhos amigos, se tornam aqueles colegas distantes com quem perdemos o contato e, a medida em que o livro chega ao fim, estes amigos passam a fazer parte somente da nossa memória.

Autor: Benjamin Alire Sáenz
Páginas: 392
Editora: Companhia das Letras


Ariadny Theodoro  
Ariadny Theodoro,incansavelmente bipolar e a primeira mulher da trupe do PdB. Apaixonada por literatura, séries de televisão, teatro e fotografia digital, escreve por necessidade de manifestar suas diversas paixões, nem sempre compreendidas pelos demais. Escreve sobre tudo - o bom e o ruim! Afinal, alguém tem de ter a difícil tarefa de alertar ao mundo que nem tudo é sempre bom!
FacebookTwitter

0 comentários:

Share