6 de jul de 2014

Arrabal e a Noiva do Capitão, de Marisa Ferrari




Quando Arrabal e a Noiva do Capitão, lançado pela Editora Novas Páginas e de autoria da brasileira Marisa Ferrari, caiu em minhas mãos, imaginei tratar-se de mais um romance cheio de grandes clichês com final previsível. No decorrer da leitura de suas 367 páginas, porém, fui deliciosamente surpreendido, convencendo-me que estava redondamente enganado.

O livro de Marisa Ferrari é uma aventura apaixonante. Uma grande novela com todos os ingredientes que te prendem maravilhado e extasiado até a última página. Uma história de amor de proporções épicas, cheia de humor, ganchos e uma grande revelação.

A autora, nascida no Rio de Janeiro, jornalista e pós-graduada em filosofia antiga, me surpreendeu com seu talento ao contar uma história que se passa na Nápoles do século XVIII e narra a saga dos irmãos gêmeos Giuseppe e Giordano, que se apaixonam pela mesma mulher, a linda e sofrida Luigia. Mais clichê impossível, porém, a história cheia de personagens que tinha tudo para ser mais do mesmo e/ou se tornar um samba do criolo doido, nas mãos competentes de Marisa, tornou-se um deleite absoluto e encantador.

Quando tinham sete anos, os gêmeos Giuseppe e Giordano iniciaram uma discussão pela posse do boneco Il Feroce Saladino - presente do avô, um habil artesão de marionetes - que logo evoluiu para socos e chutes. Ao tentar apartar a briga, sua mãe, Gioconda, puxou-lhes o boneco das mãos e, com o golpe de força arremessou o brinquedo, sem querer, em um precipício.

O tempo passou e cada um dos irmãos escolheu o seu destino: Giuseppe, agora conhecido como Arrabal, é o líder de um grupo de teatro itinerante típico da época da Commedia del'Arte, e sua trupe é composta por Mamma, Dottore, Francesca, Gigi, Vincenzo e Caterina. Já Giordano ocupa uma das mais altas patentes do exército do reino, e é o grande orgulho de seu pai, Carlo Romanelli.

Separados por interesses divergentes e por opiniões radicalmente opostas, os gêmeos nunca mais se encontraram e pensavam não possuir nada em comum. Entretanto, o amor pela filha do duque Di Medinacelli surgiu para provar que estavam errados.

Luigia é uma jovem viúva, que casou-se obrigada pelo pai com um homem longe de ser um príncipe encantado, sofreu nas mãos dele antes de se ver livre, mas acabou tornando-se prisioneira do próprio pai ao voltar a morar em sua casa, sob suas rígidas regras, que tolhiam sua liberdade de ir e vir até encontrar um novo marido. Em uma rápida escapada, com a cumplicidade de Maria, sua aia de confiança, para ver uma das apresentações da trupe teatral na cidade, a bela Luigia conhece o conquistador Arrabal (Giuseppe) e encanta-se por ele tão logo seus olhares se cruzam e ele encerra a peça recitando um apaixonado poema em sua homenagem.

No dia seguinte, Giuseppe procura por sua amada e os dois tem uma tarde de amor. Possuído por um sentimento que nunca antes havia tido por nenhuma donna, o poeta Arrabal descobre-se perdidamente apaixonado por Luigia, que corresponde com total intensidade. Mas, dias depois a moça é dada em casamento a um outro homem por seu pai. Contrariada por não ter a chance de escolher o próprio marido, Luigia tem uma perturbadora surpresa ao conhecer seu noivo, o capitão-chefe da Guarda Real Giordano Romanelli. Impressionada com a semelhança física entre o noivo e Giuseppe, ela logo entende que ambos são irmãos gêmeos, e que as semelhanças terminam na aparência.

Com o passar do tempo, Luigia se vê completamente dividida entre os dois irmãos, pois acaba descobrindo-se apaixonada também por Giordano. O que falta em um, o outro completa. Assim, ela se divide entre a bravura, a firmeza e o caráter guerreiro de Giordano e o coração puro, alegre e sonhador de Giuseppe. E quando não resta mais saída e Luigia tem de fazer sua escolha, somos contemplados com um deslumbrante e surpreendente final.

Arrabal e a Noiva do Capitão conta ainda com uma carismática e importante personagem, a elegante e sofisticada marquesa Vittoria della Fontana, uma rica mulher que abandona todo o luxo de seu castelo para fugir do marido casca-grossa e se refugia com a trupe teatral de Arrabal, envolvendo-se também com os dois irmãos, sendo uma forte rival de Luigia.

Em meio a tanta trama, Marisa Ferrari mostra uma destreza invejável na condução de sua história, costurando núcleos e personagens de forma que todos se cruzem e contem uma história redonda e muito saborosa. Tudo isso ambientado na incrível Nápoles do século 18, magistralmente reconstruída pela autora. Uma história que resgata a magia do teatro e nos convida a compreender a beleza que existe nas contradições.

Autora: Marisa Ferrari
Páginas: 368

Leandro Faria  
Esdras Bailone: leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

0 comentários:

Share