22 de jul de 2014

Primeiras Impressões: The Strain




Desde o surgimento da saga Crepúsculo, em 2008, a partir das obras literárias, vemos uma enxurrada de séries e filmes surgindo com a mesma temática "Vampiros”. Entretanto, a grande maioria segue a mesma linha, onde os personagens seculares se assemelham a pessoas comuns, sendo amadas e não mais temidas como em outrora. 

Ao informar-me sobre The Strain, nova série do canal FX, logo pensei em mais uma trama sobre vampiros que se apaixonam por adolescentes que relembram suas amadas do passado e por aí vai. Mesmo assim, fui conferir o piloto da série e grata foi minha surpresa ao ver que The Strain foge dessa mesmice e busca seguir o lado mais obscuro e temido dos vampiros. 

The Strain tem a assinatura da FX e do escritor-criador Guillermo Del Toro, que chega com seu gênero de thriller/horror para conquistar uma legião de fãs apaixonados. Diferente das outras produções, a série aborda o vampirismo de forma cientifica, como um vírus, uma bomba biológica que instaura uma pandemia e se alastra rapidamente sem nenhuma forma de contenção aparente. Aqui não temos o apelo romântico, pelo contrário, há um thriller intenso, vermes, mortes cruéis e violentas, tudo aquilo que te deixa grudado à tela sem querer perder nenhum segundo. A produção segue a mesma linha do filme Guerra Mundial Z, só que com vampiros e com uma transformação um pouco mais lenta.

Night Zero foi um episódio piloto perfeito, com uma excelente fotografia, uma poderosa direção, uma condução de roteiro impecável, um elenco seguro e com ótimas atuações.



Após um avião pousar misteriosamente no aeroporto JFK, em New York, o Centro de Controle de Doenças é acionado e imediatamente conhecemos o Dr. Ephraim Goodweather e o restante de sua equipe. Dentro do avião, quando a agência CDC entra nele, tudo parece realmente como um ataque químico, envolto de muito mistério de como, porque e, principalmente, como aquelas pessoas estão mortas de forma indolor. A pele age de forma diferente e aparentam não ter glóbulos vermelhos em seu sangue, já que na própria autópsia, posteriormente, vemos um líquido branco, mas sem nenhum sinal de sangue aparente. Dentro daquele avião, as cenas caminham de maneira tensa, até que aparecem quatro sobreviventes. 

The Strain tem dois pontos que podem soar clichê, daqueles que já vimos em diversas produções: uma organização que cria esse monstro e causa aquilo no avião, causando um surto, e o "caçador". Mas, vejamos que são realmente os elementos necessários para fazer a série caminhar, o que faz com que se criem situações necessárias e que realmente importam para a trama.

O caçador Abraham Strakian tem um mistério atrás dele, sendo que ele já esteve em Berlin há muitos anos caçando esta criatura. Vimos como o senhor de uma loja de penhores sabe se virar ao se defender de ladrões, bem como tem seu segredo no porão da loja, onde tem um coração cheio de cepa daquilo que consumiu aquelas pessoas no avião, como uma espécie de minhoca. Provavelmente era o coração de sua amada e para ela cita que a criatura está de volta, mas aos 80 anos não tem forças suficientes para lutar. 


Uma das qualidades do episódio piloto de The Strain é que apesar de falar de uma espécie mutante de vampiro e, logo ao final do episódio, deixar muito claro que um apocalipse zumbi pode se consolidar, tudo é feito do jeito “Guillermo Del Todo de ser”, ou seja: as informações estão ali, você pode absorvê-las, mas, mesmo sendo óbvias, ele não é tatibitati e deixa tudo para que o enredo evolua junto com a visão do espectador; uma ótima maneira de fazer entretenimento sem ser pueril e ainda criar expectativa para que o público “cresça” junto com os personagens. 

The Strain não é só mais um série sobre vampiros, ela é uma série sobre o lado mais fatal e obscuro deles, e não só porque mostra essas criaturas como vimos em Anjos da Noite ou Blade. Podemos fazer diversas comparações, pois a produção meio que te dá essa liberdade, pois é a prova de que estão querendo fazer uma retomada do tema e levá-lo de volta para o momento em que os vampiros eram criaturas que mereciam ser temidas, e não amadas. 

Enfim, essa é uma trama que vale a pena ser conferida, pois o trabalho apresentado é de extrema qualidade e o roteiro promete ser mais interessante do que o que vimos nesse piloto. A série está programada para ter um arco de treze episódios, outro ponto que conta ao seu favor, pois evita muitos rodeios na trama, e não será surpresa nenhuma caso aconteça sua renovação. 

Agora é esperar a estreia por aqui e conferir o desenrolar desta história que promete ser surpreendente.

Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter

2 comentários:

Leandro Faria disse...

Não sei se vc sabe, mas a série é baseada em uma série de livros escritas pelo próprio Guilhermo Del Toro, em parceria com Chuck Hogan.
Os livros são EXCELENTES (pelo menos o primeiro, já que me lembrei que tenho de continuar a leitura).
E a série me deixou com muita vontade de assistir!
Vou fazer isso logo!

Artur Lima disse...

É eu sabia sim, só esqueci de mencionar no texto, espero que a serie se aproxime dos livros =)

Share