19 de dez de 2014

Apenas Um Dia, de Gayle Forman





O ano de 2014 foi muito feliz para minhas leituras casuais. Porque eu ando assim: lendo casualmente. Os livros vão se abarrotando na minha estante (e é incrível como adquiro mais livros do que consigo ler) e vou escolhendo minhas leituras aleatoriamente, pela capa, sinopse ou simplesmente no escuro, fechando o olho e deixando minhas mãos irem na sorte. E como a sorte tem sido legal comigo, viu? Li boas e agradáveis histórias nesse ano.

Gayle Forman, a autora best seller, entrou por acaso na minha vida. Li Se Eu Ficar e me encantei com a trama. A continuação, Para Onde Ela Foi, manteve meu interesse na autora e ampliou minha vontade de conhecer outros universos criados por ela. Por isso, foi com surpresa que vi que Apenas Um Dia era um livro ainda melhor que os outros dois que havia lido anteriormente, me deixando com ainda mais vontade de ler outras obras da autora.

Em Apenas Um Dia acompanhamos Allyson Healey, uma jovem que, de férias pela Europa, leva uma vida regrada, muito por conta da influência de sua mãe superprotetora. Tanto é que até mesmo a viagem, que era para ser um presente, tornou-se chata e sem graça. Até o momento em que, no finzinho da viagem, em Londres, conhece Willem, um jovem ator holandês, que num impulso a convida para passar um dia inteiro e apenas um dia, junto com ele em Paris. E Allyson, surpreendentemente, aceita.

Em Paris, Allyson e Willem vivem uma estranha paixão que termina abruptamente e sem o fechamento definitivo desse ciclo, com Allyson sequer entendendo o que aconteceu. E então a trama segue com os acontecimentos desse único dia reverberando na vida da protagonista, que torna-se outra pessoa a partir de então.

Isso é o legal de Apenas Um Dia. Apesar de nos levar a acreditar que toda a trama seria centralizada no único dia em Paris, esse dia ocupa bem pouco da história. Mas são acontecimentos tão impactantes para a protagonista, que ela e nós não nos esquecemos desse dia e buscamos entender o que efetivamente aconteceu com Willem depois de tudo o que vimos ocorrer na capital francesa.

Gayle Forman, como disse, já havia me conquistado. Agora ela entra na minha lista de queridinhas, com sua escrita precisa, que nos pega pelo emocional sem ser piegas e consegue nos colocar no lugar de seus persongens, gerando uma empatia que não é simples de ser conquistada. 

Pesquisando, já soube que Apenas Um Ano, continuação desse livro, está para ser lançado no Brasil pela mesma editora Novo Conceito, que vem publicando Forman por aqui. Preciso dizer que estou doido para ler o que acontece com Allyson e Willem depois do final totalmente em aberto, e mesmo assim, delicioso, de Apenas Um Dia?

Autora: Gayle Forman
Páginas: 384
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share