16 de dez de 2014

#BaúPop: Intocáveis





O #BaúPop de hoje traz um filme que não é tão antigo quanto a coluna pede mas, entretanto, já esta empoeirado pelo tempo, afinal vivemos num mundo tão corrido, que as coisas logo perdem o prazo de validade, mas essa é outra conversa. O que nos interessa aqui é falar de Intocáveis, o belo filme francês que teve sua estreia em 2011 e que, nessa semana, encantou os telespectadores da Globo com sua exibição na Tela Quente.

No longa, conhecemos Philippe (François Cluzet), um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático. De início, eles enfrentam vários problemas, já que ambos têm temperamento forte mas, aos poucos, passam a aprender um com o outro. 

Driss, que não tem experiência nenhuma em cuidados de pessoas especiais, é escolhido por Philippe justamente por não ter compaixão pela situação de seu empregador. No começo ele comete diversas gafes, mas aos poucos eles vão se entrosando e nem o passado de Driss atrapalha a bonita amizade que nasce entre eles. 

A direção de fotografia do filme é impecável, com belas cenas e sem ter exageros; outro ponto positivo é a ótima trilha sonora, que casa bem com todas as cenas do longa. 

A atuação dos protagonistas é algo a ser elogiado; entrosados, fazem ótimas cenas que agradam o telespectador. O filme poderia facilmente cair na tentação de partir para o lado do sofrimento, porém, a trama mostra-se mais cômica, o que deixa Intocáveis uma obra bem agradável e nem sentimos o tempo passar. 


A diferença de culturas exibida entre os personagens é notória. Driss, que vive no subúrbio francês, a principio não tem um nível cultural à altura de Philippe, que chega a pagar 41 mil euros em uma obra de arte, que Driss diz fazer melhor, entretanto, um vai conhecendo o mundo do outro e trocando experiências. Dessa forma, Driss adquire um nível cultural mais elevado, e Philippe se descontrai com os ensinamentos de seu amigo. 

Resumindo, Intocáveis é um filme tocante, sensível, agradável e baseado em fatos reais. Um longa que dificilmente não agradará seu espectador e, como diriam os franceses “tout simplement parfait”.
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share