2 de dez de 2014

Pop 5ive: Melhores Filmes de Quentin Tarantino




Quentin Tarantino é, com certeza, um dos melhores diretores da atualidade . Seus filmes recheados de violência, em muitos aspectos bastante trash, com seus diálogos épicos, conquistaram diversos fãs ao redor do mundo e, claro, também sou um dos muitos admiradores do seu trabalho.

Dessa forma, o Pop 5ive do dia é especial e dedicado ao diretor, com uma lista de seus melhores filmes, na opinião desse que vos escreve.

Por isso, sem mais delongas, vamos ao que interessa. Com vocês, minha lista, pessoa e intransferível, de Melhores Filmes de Quentin Tarantino!

Cães de Aluguel (Reservoir Dogs)


Logo em sua estreia como diretor, Tarantino já impressionou e fez um excelente filme que já deu indícios de que seria um conceituado e bem sucedido diretor. Muitas de suas marcas registradas já estão nesse longa, como as cenas de violência e a história não linear.

Reservoir Dogs trata do planejamento de um roubo (frustrado) e suas consequências sobre um time de “profissionais” do ramo, cada um com sua especialidade e designado com uma cor. O detalhe é o plano perfeito do assalto à joalheria que não deu certo (e se tornou um banho de sangue apenas mencionado, mas nunca visto) porque havia um delator no meio do time. A questão é: quem? Segue-se um conjunto de personagens interessantes interpretados por grandes atores: Mr. White (Harvey Keitel), Mr. Orange (Tim Roth), Mr. Blonde (Michael Madsen), Mr. Pink (Steve Buscemi), Mr. Blue (Edward Bunker) e Mr. Brown (Quentin Tarantino, se divertindo), além de Nice Guy Eddie (Chris Penn) e o mandante Joe Cabot (Lawrence Tierney).

Esse é um típico filme em que o importante não é a estrutura início-meio-fim, mas a situação. É um filme dominado por um roteiro extremamente ágil e inteligente e, claro, por seu elenco. 

Kill Bill - Vol. 1 e 2 

Kill Bill Volume 1 foi o primeiro filme de Tarantino que tive o prazer de conhecer e, logo de cara, me impressionei com o roteiro, as cenas bem elaboradas, a atuação de Uma Thurman e com a trilha sonora que inclui Meiko Kaiji. Enfim, tive orgasmos mentais ao terminar de assistir esse longa.

O enredo se desenrola na vingança da “Noiva”, personagem de Uma Thurman, que no ensaio de seu casamento é vitimada por um grupo de assassinos profissionais liderados por Bill. A noiva fazia parte desse grupo, entretanto, ela some ao saber que estava grávida. Após o atentado, a mesma fica em coma por 4 anos e, quando acorda, busca vingança e não descansa enquanto não realiza seu objetivo. 

O filme é tão violento que se torna caricato e engraçado. Usando diversos recursos, Tarantino fez um excelente trabalho e Kill Bill é, simplesmente, uma das melhores obras já feitas. 

Django Livre (Djando Unchained)


Esse é o tão sonhado filme western que Tarantino planejou e, francamente, acertou em cheio! O filme é maravilhoso e retrata o período de escravidão americana de uma forma, digamos, “diferente”, o que causou certa irritação em algumas pessoas.

O longa retrata a trajetória de Django (Jamie Foxx), um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz). Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos. Após isso, Schultz o liberta, mas decide ajudá-lo a encontrar sua esposa e partem em busca da mesma, que agora é propriedade de Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), o dono de "Candyland", uma plantação famosa pelo treinador Ace Woody, que treina os escravos locais para a luta. 

Pulp- Fiction – Tempos de Violência 

Talvez o filme mais amado de Tarantino, Pulp Ficition foi o segundo longa do diretor e, com uma legião de estrelas como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis e Uma Thurman, nos apresenta um dos melhores filmes já feitos, com diálogos intrigantes e cheios de humor negro, além, é claro, das cenas de violência, uma das marcas de Tarantino.

A história, contada em pedaços, se apresenta por completo apenas no desfecho do enredo. Trata-se de uma obra de vanguarda, usando e abusando de técnicas de câmera e truques de roteiro, como histórias intercruzadas e flashbacks e flash forwards. É um filme que pode não ser agradável e/ou fácil de ser assistido por todos. 

Bastardos Inglórios (Inglourious Basterds

2ª Guerra Mundial. A França está ocupada pelos nazistas. O tenente Aldo Raine (Brad Pitt) é o encarregado de reunir um pelotão de soldados de origem judaica, com o objetivo de realizar uma missão suicida contra os alemães. O objetivo é matar o maior número possível de nazistas, da forma mais cruel possível. Paralelamente, Shosanna Dreyfuss (Mélanie Laurent) assiste a execução de sua família pelas mãos do coronel Hans Landa (Christoph Waltz), o que faz com que fuja para Paris. Lá, ela se disfarça como operadora e dona de um cinema local, enquanto planeja um meio de se vingar.

O motivo de este ser meu filme predileto de Tarantino é simples, a morte de Hitler. A forma como a mente audaciosa do diretor cria uma morte cruel e extremamente violenta para o Führer é uma das cenas mais icônicas que já vi no cinema. Apenas uma morte sádica e que resume toda essência do longa.
___

No fim das contas, essa é minha lista de filmes prediletos de Quentin Tarantino e, sabemos, nunca será definitiva. Por isso, pergunto: quais os seus filmes preferidos do diretor?

Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share