26 de dez de 2014

Pop Séries: Smallville





Sem dúvida, hoje vivemos uma expansão no mundo do entretenimento, com as emissores investindo cada vez mais em produzir programas de alta qualidade. Reality shows, programas de auditórios, novelas e seriados fazem parte dessa gama para atrair a audiência. Aqui no Brasil ainda engatinhamos nesse mundo de alta qualidade, porém, em outros países isso já é uma realidade, e uma grande parcela dessa produção vem de adaptações de livros, romances e HQ’s.

Atualmente, o número de filmes e seriados produzidos à base de quadrinhos é enorme. Vemos que nos últimos tempos, os filmes produzidos pelos Studio Marvel dominam os cinemas e batem recordes de arrecadação, e cada nova estreia é um pandemônio de fãs de todas as faixas etárias esperando para ver seus heróis em tela. E isso não acontece apenas nas telonas dos cinemas; o mesmo fenômeno de entretenimento faz parte das grades de emissoras televisivas americanas, como NBC, CW, FOX e ABC, que incluem em suas programações séries como Arrow, The Flash, Constantine, Gotham e The Marvel Agents of Shield.

Mas, o que faz com que essas séries estejam em evidência não é um fenômeno de agora e sim uma aposta passada, que atraiu um grande público para esse mercado. E estou me referindo a Smallville.

No ano de 2001, estreava pela CW o seriado Smallville – Toda História Tem Um Começo. A concepção do programa era simples, mostrar a trajetória do maior herói da DC antes dele se tornar esse herói. A série foi um sucesso, justamento por apostar na curiosidade dos telespectadores em conhecer a origem daquele que seria o Superman. A produção era primorosa e com efeitos e bons roteiros, personagens clássicos em contraste com personagens desenvolvidos especialmente para o seriado. 


Durante as cincos primeiras temporadas Smallville foi, sem dúvidas, uma grande série. Entretanto, a partir do sexto ano, o enredo foi além da proposta inicial, e que era muito mais interessante, com personagens e vilões clássicos permeando as aventuras do jovem Clark Kent. 

Desse ponto em diante, a atração começou a ficar maçante e pouco empolgou o seu público, o que foi pouco a pouco desprovendo a série de ser interessante, o que foi uma grande perda, já que a trama era totalmente instigantes Se os produtores e os redatores tivessem encerrado Smallvile em sua quinta temporada, teriam sido muito mais produtivos e não teriam causado o desconforto de se encerrar a série que abriu tantas possibilidades, da forma morna como terminou. 

Mas o que vale aqui é ressaltar que, sem Smallville as demais séries que foram citadas aqui não teriam tanta importância, visto que a trama sobre o jovem Super Homem foi a precursora de todo esse movimento que hoje é muito forte e tende a ser cada vez mais. 

Fica aqui nossa eterna lembrança a Smallville. Lembro com nostalgia de chegar aos domingos, louco para ver a série reprisada mais de dez vezes pelo SBT, o sempre brilhante SBT.
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share