17 de jan de 2015

Pop 5ive: O Pior do Cinema (em 2014)



Com o anúncio dos indicados ao Oscar 2015 nessa semana, o cinema é o assunto das rodinhas mais antenadas pelo mundo. Mas, enquanto o Oscar premia os considerados melhores filmes e desempenhos, o que dizer do que teve de ruim?

Como fizemos a lista dos piores e melhores da televisão brasileira em 2014, chegou a hora, na carona do Oscar, de conferirmos quem no cinema deu uma bela escorregada. Afinal, a gente não é injusto e, por isso, lá vamos gongar o que teve de pior na sétima arte!

Eis a nossa lista!

Os Caras de Pau em: O Misterioso Roubo do Anel, de Felipe Joffily

Alguém disse que Leandro Hassum era engraçado e ele acreditou, mas o pior mesmo foi ter que aguentar ele em quase todos os filmes de comédia feitos no Brasil lançados ano passado. Uma super exposição desnecessária.

Nesse filme (péssimo, por sinal) ele revive seu personagem mais chato: o dele mesmo!

Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola, de Seth MacFarlane

Seth MacFarlane, que se deu bem com Ted e como apresentador do Oscar, infelizmente quebrou a cara nesse filme, onde além de atuar, ele escreveu e dirigiu, mas não fez nada disso bem!

O título em português ainda piora a coisa e é uma pena ver tantos talentos desperdiçados neste faroeste de quinta, quer dizer, nesta paródia com o gênero. Sério. Vergonha alheia define esta produção!

Juntos e Misturados, de Frank Coraci

O filme resgata o velho clichê do casal que se detesta e é obrigado a conviver junto durante um tempo.

O grande problema é que Adam Sandler precisa de férias, longas férias. Há muito tempo não faz nada divertido e precisa-se reencontrar. O ator, que já mostrou talento para filmes mais introspectivos, precisa é de um novo agente que faça com que ele pare de fazer uma bomba atrás da outra. Aqui ele ainda colocou a coitada da Drew Barrymore no meio.  

Transcendence - A Revolução, de Wally Pfister

Sabe aquele filme que tinha tudo pra dar certo, mas nada funciona? É esse. Prometeu demais e não disse a que veio e Johnny Depp também é outro ator que precisa dar um tempo e se reciclar, porque não anda escolhendo bem seus projetos...

Frankenstein – Entre Anjos e Demônios, de Stuart Beattie

Hollywood anda mesmo sem criatividade nenhuma e, vira e mexe, tenta recriar personagens clássicos, ora consegue, ora não.

É o caso desse filme, que mostra que boas ideias podem ser desperdiçadas. E escalar Aaron Eckhart para um papel que tenha que ficar desfigurado foi maldade!

Menção honrosa: Need for Speed.  Sabe Velozes e Furiosos? Então, é pior!

E, não perca: não é só o Oscar que elege os melhores. O nosso Pop 5ive com o Melhor do Cinema em 2014 também já está no ar! Clica aqui para ler!
Serginho Tavares  
Serginho Tavares, apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), de TV e literatura. Adora escrever. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência e com os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter
-->

0 comentários:

Share