18 de fev de 2015

O Sangue do Olimpo, de Rick Riordan




Terminar uma aventura que se estendeu por vários livros é sempre complexo. Porque, se eu sempre quero saber como aquela história chegará ao seu fim, também tenho dificuldades em me despedir de personagens que, por tantos livros e páginas, me acompanharam e tornaram-se queridos para mim. Por isso, foi com alegria e tristeza que finalizei a saga Os Heróis do Olimpo, de Rick Riordan, com a leitura do excelente - as always - O Sangue do Olimpo.

Resumo básico para quem não sabe do que se trata a série: centrada em uma profecia envolvendo sete semideuses, os livros acompanham a luta de Percy (Jackson, ele mesmo, da outra série do autor), Anabeth, Leo, Pipper, Jason, Frank e Hazel, para evitar o despertar de Gaia, uma deusa ancestral, que planeja destruir o mundo como o conhecemos, trazendo de volta seu reinado anterior aos deuses. Enquanto isso, os semideuses gregos e romanos preparam-se para uma batalha que pode ou não ajudar Gaia em seus propósitos.

Claro, a série é bem mais do que isso, mas para entender o motivo de ser tão viciante ela tem de ser lida. E fazer isso é sempre um prazer, já que seu autor, Rick Riordan, é um mestre na arte de contar histórias que envolvem mitologia com o mundo moderno, fazendo um mix interessante de atualidades com mitos milenares de todo o mundo.

O Sangue do Olimpo é especialmente interessante, já que aqui a história ganha dois novos protagonistas que atuavam apenas como coadjuvantes nos outros livros. Nico, o filho de Ades, e Reyna, a pretora romana, com a missão de levar a lendária estátua da Atenas Partenos de volta ao acampamento Meio-Sangue, ganham destaque e o nosso coração. Nico, em especial, mostra-se um personagem de muitas camadas e interessantíssimo. Ganhou o meu amor (e o de um filho de Apolo, mas isso é apenas para os entendidos).

Com muita aventura e um final interessantíssimo, Rick Riordan conseguiu que até mesmo Leo, o protagonista que eu mais odeio menos gosto, tivesse um final digno e coerente com sua trama. O que não é pouco, já que escrever tramas interessantes e envolventes com nove protagonistas (contando Nico e Reyna, que crescem nesse capítulo final) é um exercício e tanto para um autor.

Depois de sermos apresentados a uma nova história, com novos protagonistas em O Herói Perdido e de matarmos nossas saudades de velhos e queridos conhecidos em O Filho de Netuno, Rick Riordan foi construindo com ação e tramas incríveis sua história em A Marca de Atena e A Casa de Hades. Assim, termos um final tão magistral e completo em O Sangue do Olimpo faz dessa série outro grande acerto do autor.

Dessa forma, Os Heróis do Olimpo, com seus cinco e interessantíssimos livros, são leitura obrigatória para os fãs de boa literatura juvenil, que brinca ao misturar mitologia, mundo atual e universos mágicos diversos. Merece a sua atenção e leitura!

Autor: Rick Riordan
Páginas: 432

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share