2 de fev de 2015

#VergonhaAlheia - Ano III - # 04




Acorda criançada, tá na hora da gente brincaaaaar! Mentira! E aí, tudo certo? Sobreviveram ao final de semana? Se não, toma um sal de frutas pra poder encarar isso:



Isso, meus amigos, é a prova de que o amor precisa de limites. Precisa muito!

Luana e Rodrigo, duas pessoas maravilhosas, moradoras de Pelotas, no Rio Grande do Sul, se jogaram no Tinder. Pra quem não conhece, Tinder é um aplicativo de relacionamentos, sabem? Existem vários, mas esse tá entre os mais conhecidos. Pois bem, Luana e Rodrigo (gravem bem esses nomes) se conheceram no aplicativo, se encontraram, se gostaram e estão juntos há dez meses. Que legal, né?! Sim, é muito legal, de verdade, eu estou sendo sincero. O mico ficou por conta da tatuagem que os dois resolveram fazer. Continuam viajando? Eu explico: esse símbolo é, nada mais, nada menos, que o ícone do Tinder. Isso mesmo, pra eternizar o amor deles, Luana e Rodrigo tatuaram o símbolo do aplicativo de relacionamento onde se conheceram.



Sério? Sério mesmo?! Ah gente, me poupe, né? Tudo bem, eu adoro uma boa história de amor, mas isso aí já é demais. Eu pensava que tatuar o nome da namorada ou do namorado fosse o cúmulo da cafonice, mas a galera tem o dom, a capacidade de se superar e conseguir me deixar de boca aberta. Aí depois vira piada na internet (quem tem Twitter sabe do que eu estou falando) e reclama, mas ué, pediram, não pediram?!

Enquanto alguns tatuam símbolo de aplicativo no pulso, outros tiram foto da própria desgraça, como se fosse algo super normal. Estão preparados? Cenas fortes a seguir (não muito, mas...). Amanda Machado, moça muito, mas muito esperta, se enfiou num carro com um rapaz cujo nome ninguém soube me dizer (e olha que eu perguntei), e foi se aventurar na BR-364 com o motorista bêbado e sem cinto de segurança, ou seja, mais um dia normal nas estradas do mundo.

Pra variar, o motorista acelerou, chegando a 180 km/h, fazendo o carro capotar entre Palotina e Terra Roxa, no Paraná, Até aí tudo bem, mais um acidente, tudo de boa. E o que a gente faz se sofre um acidente de carro??? Bem, eu não sei vocês, mas a Amanda, essa garota ESPERTA, fez isso aqui:



Cultura inútil: o termo "Cuzido", ou no caso da foto, "Cuzidoooo" é a expressão usada pelos cidadãos locais pra se referir à embriaguez.

Gente... No que diabos essa menina tava pensando?! Segundo Amanda, as selfies tiradas no aplicativo Snapchat eram um pedido de socorro. Sim, porque não existe 190 no Paraná, né? Meu Deus do céu, gente, onde é que a gente vai parar? E outra: burra! Como é ela publica uma foto mostrando que o motorista estava bêbado e em alta velocidade, gente? Ah, que desespero que me dá quando essas coisas aparecem, viu?

Amanda disse que não está nem saindo de casa, devido a repercussão do caso. Mas claro! Acho que deveria mudar de nome e de país, porque vai ser difícil viver tranquilamente por um bom tempo!

Ah, sobre o motorista: fraturou a perna.

Agora, meninas, como está sendo o verão de vocês? Aproveitando pra dar aquela reforçada na marca do biquíni? Pois bem, já ficaram sabendo da moda nova entre as sub-celebridades e algumas desconhecidas? Não?! Pois eu conto pra vocês! Ou melhor, eu mostro:



Bacana esse biquíni, né? Pois é, é fita isolante. SÉRIO! Segundo adeptas dessa moda estranha, a fita isolante (ou esparadrapo, sim, também serve) deixa a marca mais definida que o biquíni convencional. Deve arder na hora de tirar, hein...

Ah gente, que preguiça. Fala sério, qual a necessidade disso? Custa, nem que seja só um pouquinho, agir normalmente? Galera adora inventar uma moda. Daqui a pouco tem tutorial no Fantástico...

Vamos ver mais uma? Essa é com esparadrapo (nem precisava falar...)



Falando em biquíni e em gente semi-nua, Mulher Melão (sempre essas frutas) está super, mega, ultra envolvida com a crise hídrica do Sudeste. Essas frutas andam envolvidas ultimamente, não?

Bem, como toda pessoa semi-nua, Mulher Melão sugeriu tomar banho de balde em praça pública, e ainda pediria água aos pedestres, pedir pra que eles esfregassem suas costas, tudo pra chamar atenção para o problema. Só se for pro problema mental dela, né?!

Qual é, ô Melão, assume logo que quer ficar semi-nua em praça pública, poxa vida. E ainda tem a cara de pau de dizer: "No calor, se acaba a luz, a gente tira a roupa. Mas e se acaba a água?". Tudo é desculpa pra tirar a roupa, hein! E não, não estou zuando só porque eu não gosto de mulher, mas ah vá, né?

Vamos terminar com barraco. Isso mesmo, barraco, minha gente!!! Ah, como eu amo, fiquei até emocionado aqui!

Rolou o Miss Amazonas 2015, né? Sim, rolou. Na edição desse ano, a vencedora foi Carol Toledo, e quem ficou com o segundo lugar foi (atenção para o nome) Sheislane Hayalla.

Acontece que Sheislane (adorei esse nome) não ficou muito contente com a vitória da Carol, e fez o que ninguém esperava: foi lá e arrancou a coroa da cabeça da Carol. AHAHAHAHA segue o vídeo:



QUE INCRÍVEL! Sheislaine disse que o concurso foi fraudado, mas a gente sabe que ela queria era ganhar os prêmios do primeiro lugar, né, meu povo?! Aaaah, não mete essa não, Sheis! Ficou bem feio, viu? Só foi fraudado porque tu perdeu, tenho certeza disso!

Outra coisa maravilhosa nesse barraco ridículo foi essa mulher de amarelo, aplaudindo e sorrindo, feliz com o circo pegando fogo, olha só:



Parece eu quando vejo algum barraco!

Então eu vou ficando por aqui, meus amigos! Gostaram? Hoje eu não repeti ninguém das outras edições, hein! Parece que os deuses estavam de bom humor nessa semana.

Vou nessa, boa semana pra nós, juízo, curtam, compartilhem, indiquem o Pop de Botequim pros amigos, que tem muita coisa legal aqui (eu, por exemplo).

FUI!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, um espírito livre, observador do tempo, da vida e das muitas timelines da web. Sonha em ter muito dinheiro pra poder cair no mundo, aprender tudo o que puder. Acredita que jazz, blues, soul, pop, samba, pagode e erudito sejam as trilhas sonoras perfeitas para a vida que leva
FacebookTwitter


0 comentários:

Share