31 de mar de 2015

#DocPop: O Amor Está No Ar, A Maioridade de Uma Deliciosa Novela Das Seis




Era o ano de 1997. No dia 31 de março, estreava as 18 horas O Amor Está No Ar, a nova novela das seis. Eu fiquei alucinado pra acompanhar essa história escrita por Alcides Nogueira e, durante seus 137 capítulos, não me decepcionei. 

Meu interesse pela novela começou desde as primeiras notícias, que davam conta que o triângulo amoroso principal seria protagonizado por Betty Lago, Rodrigo Santoro e Natália Lage, três atores que amo, principalmente Betty e Natália. Na época, Rodrigo estava despontando como promissor galã, seu trabalho anterior tinha sido a novela Explode Coração, onde viveu um romance com uma mulher bem mais velha. Nessa trama então, estreava protagonista. 

A história: a bela Sofia Schneider (Betty Lago) é casada com Vítor e tem três filhos com ele, a mimada e arrogante Beatriz, o doce Daniel e a rebelde Luísa (Natália Lage). Vítor é o proprietário da Estrela Dourada, empresa de turismo da fictícia cidade de Ouro Velho. Após sua morte, Sofia assume os negócios da empresa, provocando a ira de Úrsula, sua sogra e grande vilã da trama, que detesta a nora e não aceita que ela assuma os negócios da família. Viúva, Sofia inicia uma grande disputa pelo poder com a maléfica Úrsula, que usa de todas as artimanhas para se dar bem, inclusive manipular os netos contra a própria mãe. 

Nesse balaio de gato entra Luísa, que é a neta adorada de Úrsula e, por sua vez, achando-se incompreendida pela mãe, que não entende suas atitudes intempestivas, vive em atrito constante com ela. No fundo, mãe e filha tem personalidades fortes e muito parecidas, por esse motivo não conseguem se entender e sempre batem de frente, causando um desgaste na relação. Em meio a tudo isso, Luísa ainda tem alucinações, ela acredita ver OVNIs. O que a deixa bastante perturbada. Dividida pela disputa entre sua mãe e sua avó e confusa com suas visões, Luísa encontra o amor nos braços de Léo (Rodrigo Santoro). Ele é o novo aviador que chega à cidade para trabalhar na Estrela Dourada. O problema é que Luísa tem de enfrentar a apaixonada Cuca Chicotada, ex-namorada de Léo, que não se conforma com o término do romance. Boa de briga, Cuca, que tem esse apelido por trabalhar como domadora de animais no circo do pai, Guima, e tem grandes embates com Luísa, que também não leva desaforo pra casa. 

Em dado momento, Luísa, que adora esportes radicais, como motociclismo e jetski, desaparece. A família toda se mobiliza em sua procura, principalmente Léo e Sofia, os mais desesperados com o sumiço da garota. O tempo passa e eles ficam cada vez mais próximos pela dor e o empenho em encontrá-la, mas Luísa não aparece e nem dá notícias. O que faz todos pensarem que ela sumiu por vontade própria. Léo e Sofia, por fim, passam a se acostumar com a ideia de que Luísa decidiu abandoná-los de vez, então surge um novo sentimento, os dois se apaixonam e começam a viver um romance secreto, para evitar falatórios maldosos. Eis que, quando estão prestes a assumir publicamente a paixão, Luísa reaparece. 


Ela foi abduzida por um disco-voador e mantida em cativeiro por extraterrestres. Mas quem irá acreditar numa história dessas? Luísa se vê numa sinuca-de-bico após voltar a Ouro Velho. Ela não tem nenhuma lembrança do que aconteceu. Decepcionada e revoltada ao descobrir o caso entre sua mãe e seu namorado, ela não tem nem como provar que não desapareceu por livre e espontânea vontade, e todos sofrem. Luísa, porque ama Léo e se sente duplamente traída. Léo, porque ainda ama Luísa, mas acha que foi abandonado sem nenhuma explicação. E Sofia, porque ama Léo, mas ama mais a filha e não quer disputar o namorado com ela, que por sua vez não a perdoa. Decidida a esquecer Leo, Luísa, que a essa altura já não mora mais com a mãe, está vivendo na casa da avó, conhece o misterioso João, novo administrador dos negócios de Úrsula. Sente-se envolvida por ele mas, antes que aconteça algo mais, o rapaz revela seu grande segredo. O fascinante administrador é o ET que abduziu Luísa. 

No final, Léo e Luísa reatam, os dois vão morar juntos e fazem uma viagem de lua de mel ao Peru. Em meio Às ruínas de Machu Picchu, João reaparece para o casal, provando a Léo que é realmente um ser de outro planeta, não deixando dúvidas de que Luísa nunca foi louca, como muitos acreditavam. Os dois terminam felizes e mais apaixonados do que nunca e Sofia encontra o amor nos braços de Pedro Olimpio, um rico empresário que compra de Úrsula a Estrela Dourada, pondo fim a disputa pelo poder. 

A novela teve ainda outros destaques que me deliciaram. As hilárias Chimbica e Laíde foram um show à parte. Laíde era empregada na casa de Sofia e sonhava em ser famosa, tinha um namorado por correspondência que conhecia só por foto e soltava tiradas engraçadíssimas. Já Chimbica era de rolar de rir, num trabalho de composição perfeito, a atriz deu vida a uma balconista de açougue caipira e bem fofoqueira. Carla Fioroni e Vera Mancini estavam impagáveis e brilhantes em seus respectivos papéis. 

Outro grande destaque foi Lady Francisco como Candê. Num dos melhores papéis de sua carreira, ela incorporou uma batalhadora dona de casa, forte e apaixonada pelo marido Guima, de Nuno Leal Maia, outro destaque. Capaz de enfrentar de igual pra igual, sem medo, a poderosa Úrsula, que teve um romance com seu marido no passado e ainda demonstrava ser apaixonada. Os embates entre Candê e Úrsula eram os melhores. Úrsula, em atuação marcante de Nicette Bruno, nunca descia do salto, sua postura era sempre de alguém acima do bem e do mal, mas Guima era seu ponto fraco e sabendo disso, Candê tripudiava. Os enfrentamentos entre as duas eram sempre um deleite. Um banho de interpretação e emoção. Candê sempre humilde, bem povão, e Úrsula sempre de nariz em pé. 


O amor que Úrsula nutria por Guima também era uma trama envolvente. Mesmo muito apaixonada por ele na juventude, ela preferiu abrir mão desse amor, por ele ser de classe social muito inferior. Casou com um homem rico, ficou mais rica do que já era, mas nunca foi feliz e nunca esqueceu Guima. As cenas em que ela aparece sozinha, lembrando do passado e sofrendo ao som de A Mulher Em Mim, de Roberta Miranda, eram de arrepiar. Eu ia ao delírio! 

Os romances entre Camila (Ana Paula Tabalipa) e Rodrigo (Thierry Figueira); Ivan (Marcelo Faria) e Beatriz (Micaela Góes); Vicente (Tuca Andrada) e Cuca (Georgiana Góes) também eram interessantes. A abordagem dos costumes judaicos através dos personagens Davi (Caco Ciocler) e Flora (Isabela Garcia), vivendo um romance cativante, e Daniel (Patrick Alencar), prestes a comemorar seu Bar Mitzvá, também foi bastante enriquecedor pra trama. Os vilões Alberto e Júlia, vividos por Luís Mello e Nathália do Vale, também estiveram impecáveis, assim como Monah Delaci esbanjando charme e sofisticação como a matriarca dos Schneider. 

Essa novela foi extremamente criticada em sua exibição. A audiência não foi das melhores. Muitos a acusavam de confusa e fantasiosa demais. Uma novela fraca enfim, tanto que nunca teve uma reprise. Pra mim uma grande pena, porque eu amei tudo em O Amor Está no Ar, cada detalhe. Foi uma novela diferente, ousada com a abordagem do tema "extraterrestre", jovem, solar, com um elenco bonito e extremamente competente. Uma novela pequena sim, mas uma pequena jóia. Sem sombra de dúvidas é uma de minhas novelas preferidas. Afinal de contas, não dá pra confiar no gosto da grande massa. E lá se vão 18 anos.

Leia Também:
Leandro Faria  
Esdras Bailone: leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

0 comentários:

Share