2 de mar de 2015

#VergonhaAlheia - Ano III - # 06





Ê lasqueira, estamos de volta, cambada! Como é que foi o final de semana de vocês? Todo mundo vivo? O meu foi ótimo, mas não vou contar aqui, porque isso aqui é uma coluna séria, e não diário de adolescente. (Coluna séria... Consegui digitar isso sem rir).

Por falar em notícia séria, vamos falar do caso que parou o Brasil e o mundo: A COR DE UM VESTIDO. Sério, gente, parece que a falta do que fazer alcançou um nível que eu não imaginava que fosse possível.

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2015. Uma usuária do Tumblr, uma rede social de GIFs (imagens animadas, como algumas que já apareceram por aqui), postou a foto deste vestido horroroso e perguntou: 
"Qual a cor desse vestido?":
Pronto. A Internet surtou. Era gente que via azul e preto; era gente que via branco e dourado. E ninguém chegava a uma conclusão sobre a cor definitiva do bendito vestido da foto ao lado.

E eu assistindo tudo com essa cara:




Ah, pelo amor de Deus, né gente? O pior nem foi a paralisação global por conta disso, mas o Jornal NacionalFantástico transformarem isso em pauta. Mas gente, o que mais tem por aí é pauta relevante, por exemplo... Bem, deve ter alguma coisa melhor pra virar matéria, não?

Enfim, por via das dúvidas, pra quem não tem lá muita certeza do que está vendo, segue abaixo uma imagem com o mesmo vestido, em cores diferente, assim acaba com a discussão (mas fica a dica: de acordo com os especialistas, o vestido era preto e azul):



(Fato perturbador: Clique neste link pra ver até onde a loucura do ser humano pode chegar. Me digam que é mentira, por favor.)

O que eu também gostaria que fosse mentira, é a nova linha de produtos eróticos que vai ser lançada em Março.
"Mas Glauco, o que tem de mais numa linha nova de produtos eróticos?" 
O que tem de mais? Simples: É uma linha voltada para evangélicos. Que me deixam como no link.

Vou te contar, viu?! É, gente, a vida está tomando uns rumos muito estranhos.

Com lançamento marcado entre os dias 6 e 8 de março, na vigésima segunda Erótika Fair, a linha In Heaven (No Céu, pra você que não fez Fisk), vem com o slogan "Novo segredo de um casamento feliz", trazendo novidades como:



Esse é o Pure, que dá a sensação de ser virgem outra vez. Serve pra quem não tem dinheiro, como a Angela Bismarchi, e não pode reconstituir o hímen mais de uma vez.

Tem também esse aqui, ó:


O nome desse é Vibe, um vibrador líquido. ALGUÉM ME EXPLICA?! Qual é a graça de um vibrador líquido, gente? (Será que é pra diluir na água?).

Enfim, vários desses produtos poderão ser encontrados nessa feira. A ideia é dar tranquilidade às pessoas, pra que possam comprar seus produtos eróticos sem constrangimento. Quer constrangimento maior do que entrar na loja e dar de cara com a mulher do pastor comprando um vibrador líquido? Não to podendo, sinceramente! Eu acho mais jogo ir numa sex shop comum, já que a chance de dar de cara com algum irmão ou alguma irmã da congregação é menor, hein? Sei lá, acho mais inteligente.

Falando em coisas eróticas... Vamos falar sobre Cinquenta Tons de Roxo.
"Espera aí, Glauco, não era Cinquenta Tons de Cinza?"
Sim, nas telonas, mas na sala de cinema do Plaza Shopping Recife, os papéis foram invertidos, e quem apanhou foi o homem, e não a mulher. Vamos ver imagens? Vamos sim:


Ah, mas que desgraça... Quanta pobreza, meu povo. Gente, não tenho estrutura pra barraco no cinema não, viu?

Você deve estar se perguntando qual foi o motivo do barraco, certo? Pois bem, eu explico: Essa mulher, cujo nome a equipe do Pop de Botequim não conseguiu descobrir, estava assistindo o filme, quando flagrou seu marido assistindo também. Não, eles não foram acompanhados um do outro. O marido estava acompanhado da amante.

Ah, pra que, né? A traída partiu pra cima do marido, no melhor estilo Christian Grey, só que sem chicotes, mordaças, máscaras e cintadas na bunda. Não bastava fazer barraco dentro da sala de cinema, tinha que fazer barraco dentro da sala de cinema, numa sessão de Cinquenta Tons de Cinza. É pra matar mesmo, viu?!

Vamos terminar com gente seminua? Vamos sim!

Em Brasília, a MC Bandida (?), totalmente desconhecida pelo resto do país, e conhecida como a Rainha dos Protestos no Distrito Federal, resolveu, assim como todas as outras mulheres seminuas, protestar. Quase sem roupa. Com outros Mister DF. Também quase sem roupa. Pelo que? Pelo aumento do preço da gasolina. Eles foram protestar aonde? Numa rodoviária. Por que? Também não sei.

Teve vídeo com depoimentos, bunda flácida, e... É melhor deixar vocês assistirem:


É, meu povo. Não tá fácil. Em determinado momento, o repórter pergunta pra um dos descamisados: "É um protesto ou é um desfile?". O que ele responde: "Pois é.".

Ah gente, me poupe, né? Não dá, não tenho força pra esse tipo de coisa. Povo não tem absolutamente nenhum conhecimento do que está acontecendo, não sabe pra onde tá indo, de onde tá vindo... E eu continuo sem saber quem é a MC Bandida. Certeza que deve ser uma pessoa boníssima!

Teve mais coisa também, viu? Teve Dr. Rey mexendo com mulher alheia e levando umas porradas, e também uma pegada no saco; teve Fernanda Souza vendo imagem de Jesus perto do seu peito, mas era mesmo um jogo de luzes; teve também o programa do Gugu na Record, que olha...

Ai, pra mim já deu, eu vou nessa, porque a Segunda-feira promete! Boa semana pra nós, juízo nessas cabeças, e até semana que vem!

Aaah, já sabem, traz os amigos pra cá, tem review de série, filme, resenha de livro, música, moda... E tem eu também, né? Beijos!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, um espírito livre, observador do tempo, da vida e das muitas timelines da web. Sonha em ter muito dinheiro pra poder cair no mundo, aprender tudo o que puder. Acredita que jazz, blues, soul, pop, samba, pagode e erudito sejam as trilhas sonoras perfeitas para a vida que leva
FacebookTwitter


4 comentários:

Lorenna Mendes disse...

Olha, essa MC Bandida também não é tão conhecida por aqui em Brasília não hein haha, adorei!

Glauco Damasceno disse...

HAHAHAHAHA ADOREI o comentário, Lorenna! Bem, acho que temos então uma iludida, né?
Beijo!

Esdras Bailone disse...

Olha, acho que essa semana foi a mais puxada da história da Vergonha Alheia, viu!

Glauco Damasceno disse...

Não foi fácil, Esdras! Realmente, precisei de muita força!

Share