11 de abr de 2015

A Lista Negra, de Jennifer Brown





Os massacres em escolas de ensino médio americanas são um trauma e uma grande preocupação no país. E, a partir de histórias reais, como o Massacre de Columbine, as artes (literária e cinematográfica) acabam produzindo obras diversas sobre o assunto, como o aclamado documentário Tiros em Columbine, de Michael Moore, o filme Elefante, de Gus Van Sant, e o livro Precisamos Falar Sobre o Kevin, de Lionel Shriver, e seu filme derivado, dirigido por Lynne Ramsay e estrelado por Tilda Swinton

A Lista Negra, da autora americana Jennifer Brown, também mergulha no assunto, mas a partir do ponto de vista da namorada de um atirador que ceifou a vida de diversos jovens e um professor em uma cantina de escola, para se suicidar logo depois. E o livro de Jennifer consegue ser tão bom quanto as obras que citei anteriormente, atraindo nosso interesse apesar do assunto pesado e triste por si só.

Valerie Leftman era uma jovem estudante de high school como tantas outras. Devido a problemas familiares e ao bullying diário do colégio, acabou se aproximando e tornando-se namorada de Nick Levil, um underdog como ela. Juntos, os jovens criaram uma chamada Lista Negra, onde colocavam, por piada (para Valerie), os nomes de todos aqueles que eles julgavam merecer morrer. Uma brincadeira macabra, é claro, mas que ganhou contornos de pesadelo real quando em um dia Nick apareceu no colégio com uma arma e abriu fogo contra vários alunos presentes na Lista Negra e se suicidou em seguida. Valerie, que levou um tiro na perna do namorado ao tentar deter o tiroteio, sobrevive, mas tem que lidar com as feridas emocionais a partir desse episódio.

Escrito com imenso talento por Jennifer Brown, A Lista Negra te pega logo nas primeiras páginas. Mostrando a trama a partir da ótica de Valerie nos dias atuais e em momentos diversos antes da tragédia, os capítulos são entremeados por matérias de um jornal fictício, que pintam as vítimas do tiroteio como verdadeiros heróis e que, muitas vezes, não condizem com a realidade. E a graça do livro é perceber que apesar de Nick ter sido um assassino louco, ele também foi uma vítima do sistema em que estava inserido. 

Falando sobre traumas, superação e perdão, A Lista Negra surpreende ao apresentar ao público jovem um assunto tão polêmico e tão atual, de maneira clara, direta e emocionante. Seus personagens não são caricatos ou unidimensionais, ao mesmo tem em que a história está longe der tatibitati ou bobinha. 

E, apesar de direcionado ao público jovem, A Lista Negra é um excelente livro que agradará também a um público mais adulto e exigente, que perceberá nuances interessantíssimas na história e em sua condução. É imperdível!

Autor: Jennifer Brown
Páginas: 272

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share