1 de jun de 2015

#VergonhaAlheia - Ano III - # 18




EI GENTE! Tô de volta, tô na área! Como é que foi o final de semana? Deram vexame na balada? Confundiram mulher gorda com grávida? Mandaram beijo pra gente morta, tipo a Susana Vieira? Sim, porque não é só Claudete Troiano que faz essas coisas, mas Sussu também.

E a Record, invejosa como sempre, quis fazer melhor, mostrar que não sabem só fazer minissérie bíblica. Foram lá e entrevistaram o defunto. É SÉRIO! Tudo corria bem, um dia comum, com menores de idade assaltando uma mercearia e fugindo num carro roubado, batendo em tudo que é coisa e carro, no melhor estilo GTA. Por fim, os menores bateram com o carro e... Bem, é melhor vocês assistirem:


Coitado do repórter... Mais ignorado que eu no Whatsapp, hein? Gente, que situação! Bem que os policiais podiam ter passado uma colinha pra ele, dizendo que o rapaz tava morto, assim, pra não pagar mico, né? Felizmente o repórter percebeu que tinha enfiado o pé na jaca, o que de certa forma, ficou feio pros policiais, porque podiam ter coberto o corpo do garoto, também, poxa vida, isso sim seria uma baita de uma cola. E o sargento completamente descompensado, não conseguia falar nada direito, que desespero! Enfim, no final das contas não ficamos sabendo se o morto era ou não menor de idade, assim, só pra matar a curiosidade, mesmo.

Por falar em morte, quem morreu também foi a falta de noção da galera que tá aí na batalha pra desencalhar. Quem aí lembra da Lauren, a infeliz que se casou com o Robert Pattinson de papelão, tudo porque ele era o grande amor da vida dela? Então, Genevieve Blau, uma comediante que vive em Nova York resolveu assumir seu relacionamento sério. Com sua mochila rosa.



Tô mais passado que o Faustão. E não é brincadeira, gente!

Genê (vamos chamar assim porque já somos íntimos) percebeu que anda mais com sua mochila nas costas do que de braços dados com um homem, logo, começou a ir pra restaurantes e pedir duas taças de vinho, ir ao cinema e comprar tudo pra dois, enfim, registrar momentos de casal. Mas menina... Vamos ver uma foto deste lindo casal?



Notem a mulher logo ali atrás, claramente pensando: "Mais uma louca fazendo selfie na rua...". Coitada, mal sabe ela que Genê está com seu namorado cor de rosa, o que também deixa a dúvida: se é A mochila, Genê e a mochila formam um casal lésbico? Ou não, pelo fato de uma mochila ser um acessóriO? Bem, assim como a idade do morto, eu também vou ficar devendo essa informação.

Falando em gente morta, gente desesperada e falta de informações, Roberta Miranda, essa querida, embarcou num voo assim:



Achei super discreto, tendência e tal (claro que eu não usaria). Roberta tava saindo de Brasília indo pra São Paulo, quando resolveu fazer a linha funkeira e ouvir música no celular, sem fone, o que irritou todo mundo do voo, não é pra menos. O que será que ela tava ouvindo? Também não tenho essa informação (estamos bem desinformados hoje, não?), mas sabemos que uma das passageiras, mais precisamente a que estava na poltrona da frente, levantou e pediu pra que Roberta desligasse, ou que então colocasse os fones de ouvido. Achei justo, afinal, ninguém merece, né gente? É um inferno, outro dia um garoto entrou na loja ouvindo música alta no celular e... ENFIM, me empolguei aqui.

Voltando, Roberta ainda ficou uns dez segundos sem saber o que fazer, tipo quando o Windows trava, sabem? Deu tela azul e tal. Logo depois, Roberta desligou o som. Até aí tudo bem. "Mas Glauco, tem mais?!", e eu digo que tem mais sim. A cantora abriu uma marmita dentro do avião e comeu tranquilamente, e por marmita, eu digo aqueles PF, sabem? Prato Feito? Então, esses mesmo. O que será que ela tava comendo? Também não temos essa informação, mas sabemos que o cheiro do PF invadiu o avião, e todos nós sabemos como essas coisas cheiram forte, né? Principalmente quando se viaja de ônibus e tem uma criança pentelha comendo Fandangos ou Cheetos, ou esses trecos com fedor de chulé, aquilo enche o veículo dum jeito que a gente tem vontade de pegar a comida, jogar no vaso e dar descarga.

Ah gente, o que dá na cabeça desse povo, hein? Sinceramente, viu?

E vamos ficando por aqui, gente. Semaninha fraca, eu sei, mas vamos seguindo. Ah, teve mais sim, teve gente desejando a morte da família Huck, viu? Assim, não é porque o cara vive dando fora em rede nacional que a gente pode desejar a morte dele, tá? Fica bem feio, e não faz ninguém melhor que eles. Ao invés de torcer pro cara aprender com o susto e parar de fazer merda, o povo fica triste porque a família não morreu. Vai entender essa galera...

Ficamos assim então, gente! Conto com vocês pra trazerem ozamigos pro Pop de Botequim pra gente falar mal dos outros, ler as colunas do povo lindo que faz esse boteco funcionar, ok?

Leandro Faria  
Glauco Damasceno, um espírito livre, observador do tempo, da vida e das muitas timelines da web. Sonha em ter muito dinheiro pra poder cair no mundo, aprender tudo o que puder. Acredita que jazz, blues, soul, pop, samba, pagode e erudito sejam as trilhas sonoras perfeitas para a vida que leva
FacebookTwitter


0 comentários:

Share