8 de jul de 2015

Primeiras Impressões: Killjoys




Olá meus queridos lindos e lindas, tudo bem com vocês? Essa época do ano é a chamada summer season americana, onde os canais apresentam suas novas séries, porém, aquelas que são normalmente testadas, podendo ou não ser renovadas, já que as grandes apostas só chegam em meados de setembro. Entretanto, garimpando entre as estreias, podemos nos deparar com gratas surpresas como já aconteceu com Ray Donovan, Hannibal e True Detective

E no meio de tanta série, consegui achar uma que chame a atenção. Estou falando de Killjoys, nova aposta do canal canadense Space (responsável pela produção de Orphan Black e Lost Girl) em parceria com o canal americano SyFy, a série quer trazer tudo o que existe de melhor em ficção científica e não pode ser julgada por isso. Killjoys é produzida pela showrunner Michelle Lovretta, que já tem na bagagem a série Lost Girl

Killjoys são caçadores de recompensas intergaláticos que trabalham para uma empresa chamada Reclamation Apprehension Coalition (RAC). A princípio, não há nada que os diferem de nenhum caçador de recompensa que vocês já conheceram em uma outra ficção, apenas o nome muda porque eles se chamam de reclamation agentes


Vale salientar as limitações das emissoras que não tem um orçamento tão grande quanto os grandes canais, mesmo assim conseguem entregar uma série bem roteirizada, com um universo rico para exploração dos personagens e uma trama bem interessante. Falando em personagens, vamos apresentá-los: o trio principal de Killjoys é formado por Dutch (Hannah John-Karmen), que lidera o grupo e é uma peça valiosa para os Killjoys; seu parceiro é John Jaqcobis (Aaron Asmore), que tem um pouco de irresponsabilidade e sarcasmo de um menino de 16 anos, mas que se importa com coisas importantes, como família e amizade; e por fim D’Avin (Luke Macfarlane), irmão de John, sendo ele o alvo da dupla nesse episódio piloto, mas depois de uma sequência de eventos ela passa a integrar o time dos mocinhos. 

O trio se mostrou entrosado, bem dinâmico e carismático. Não que isso já não tenha sido visto em outras séries do gênero, mas mesmo assim foi animador. Percebemos também o dedo de Lovretta, que ao mostrar a liderança feminina através da personagem Dutch, tornou a série mais atrativa, sendo assim, Killjoys traz esse recurso para quebrar um pouco do machismo imperante nestas produções. 


Killjoys não é nenhuma obra prima da TV, mas é sim uma divertida série que vai te levar numa jornada interplanetária seguindo as aventuras de um trio de caçadores, que já se colocaram em perigo em seu primeiro episódio, fizeram inimigos e até amigos, e ainda está envolta de muito mistério.

Creio que vale a pena conferir e embarcar nesta aventura, já que bons elementos para a série seguir adiante ela têm, basta continuar neste caminho bem trilhado no episódio piloto.
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share