28 de ago de 2015

Primeiras Impressões: Fear The Walking Dead





Com toda certeza, podemos afirmar que The Walking Dead é um enorme sucesso: a série já está indo para sua sexta temporada e foi um fenômeno mundial desde a data de seu lançamento. Por isso, é óbvio que os fãs ficaram extasiados quando surgiu a possibilidade de um spin-off da produção. E depois de muitos rumores e expectativa, finalmente foi lançado o piloto de Fear The Walking Dead

Umas das coisas que me incomodaram quando soube da série derivada de The Walking Dead foi o fato de já sabermos o que acontece com o mundo devido ao apocalipse zumbi. Logo, me perguntei: por que fazer uma série que vai contar algo que já sabemos onde vai chegar? Mas é aí que a coisa se difere completamente, uma vez que os próprios produtores não acham que Fear The Walking Dead tenha uma relação direta com a produção mais famosa, uma vez que a história da nova produção se passará no mesmo universo, porém sem nenhuma ligação ou referência a Rick e sua trupe. Logo, é possível acompanhar Fear The Walking Dead sem nem mesmo ter assistido TWD

A proposta aqui se difere um pouco de TWD, com a trama vai se passando em Los Angeles e acompanhando o início do apocalipse zumbi, o que soa muito significativo, até para entender como tudo aconteceu. Outro fator relevante é que diferente de Rick, que era policial, agora vemos um grupo comum, sem treinamento com arma de fogo, e será interessante notar a reação das pessoas com o começo de tudo, ao verem vídeos na internet dos primeiros zumbis e não acreditarem no que estão vendo. “É claro que esse vídeo é fake”, essa provavelmente também seria a minha reação. 

Mesmo a série contando o início do apocalipse zumbi, ela não se preocupa em dar a resposta de como o surto começou, o que abre espaço para teorias de onde é o marco zero de tudo. Uma cena bem interessante é a sequência que conhecemos Nick, a ovelha negra da família protagonista, um viciado em heroína que acaba de acordar em uma igreja abandonada e testemunha a amiga se banqueteando no cadáver de outro viciado. É muito interessante que Nick tenha sido usado para representar o primeiro alarde do fim do mundo. Ele é marginalizado, não possui nenhum tipo de credibilidade e, por isso ninguém acredita quando ele diz o que viu. 

Outra teoria abordada é que a própria natureza tenha achado um modo de salvar o planeta, no caso transformando os humanos em zumbis canibais, acabando assim com a superpopulação. Mas o fato é que não temos uma resposta concreta sobre a causa do surto zumbi.

Eu sou um grande apreciador de TWD, mas mesmo assim concordo que a trama perdeu um pouco de força nas últimas temporadas e, em certos momentos, seu ritmo é lento. O que me causou surpresa foi saber através de uma entrevista que os produtores afirmaram que Fear The Walking Dead seria mais lenta. Entretanto, ser lento não significa ser chato, e eles conseguiram trabalhar a tensão e o suspense com uma direção precisa, boas histórias e trilha sonora; ou seja, é tudo aquilo que sempre pedimos para os episódios lentos de TWD

Por fim, Fear The Walking Dead não é um primor e muito menos revolucionaria como sua série mãe, mas tem a dose certa de suspense, drama, bons personagens e boa trama. Vale a pena conferir e, só ressaltando, a qualidade de efeitos me pareceram superior aos de TWD.

Leia Também:
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share