29 de ago de 2015

Tudo Bem Não Saber Quem é Alanis Morissette





Taylor Swift todo mundo sabe quem é. Lembro quando vi a moça pela primeira vez na vida: foi 2009, em uma premiação da MTV americana. Do nada, aquela menina que cantava country ganhou um prêmio em que concorria com Beyonce. Mas se você achava que esse havia sido o maior feito da menina, bem, em segundos ela tornou-se aquela que Kanye West atrapalhou os agradecimentos para passar total vergonha alheia. Talvez você não se lembre disso e só conheça a Taylor Swift por conta de seu último álbum, 1989, ou, se não conhece o CD lançado, já dançou e cantarolou Shake it Off por aí. Também deve ter pego alguma frase de Blank Space e compartilhado no Facebook ou Instagram como uma direta indireta para alguém. 

O que importa aqui é mostrar que você conhece Taylor Swift, apesar de não fazer total ideia de quem ela é. Pode não saber quantos álbuns lançou nos últimos anos, como suas músicas são basicamente sobre sua vida e seus relacionamentos que não deram certo. Talvez, mas só talvez, saiba que exista uma treta entre a moça e Katy Parry e que Bad Blood, ao que parece, foi composta para a musa do I Kissed a Girl. Mas também pode acontecer de você não ter ideia de nada disso e nem saber quem Taylor Swift é, e a culpa não é sua. 

Lembro que quando pequeno eu ouvia minha mãe e minha avó falando sobre ícones da música nacional. Foi através delas que me apaixonei aos dez anos por Caetano Veloso e Chico Buarque. Minha avó nunca superou o fato de eu não achar Bethânia tão extraordinária quanto ela. Mas fui apresentado aos ícones musicais. Aqueles que os mais velhos, na época, achavam que faziam música de verdade. Não quero e não vou entrar no mérito do que é e do que não é música de qualidade. Estamos em 2015 e cada um ouve o que bem quiser e ponto. Mas, lembro como fui apresentado ao universo pop/pop rock: foi assistindo ao Programa Livre, no SBT com o Serginho Groisman (Nossa! Como eu tô velho e como o Serginho se mantém falando com os jovens, não importando a mudança de geração ou canal. O cara é genial).

Alanis Morissette e Taylor Swift

Mas foi ali, durante o fala garoto e garota que ouvi Alanis pela primeira vez. A letra me pegou, mesmo não sendo alfabetizado em inglês na época. E me vi captado por aquela voz. Depois foi a vez de descobrir a MTV e outros sons pop. Me apaixonei por alguns, odiei outros e fui construindo meu gosto musical. Mas lembre-se, estou falando de uma época em que a internet não era presente e para ouvir minhas músicas favoritas eu tinha que gravar em uma fita K7. Vamos dizer que foi um tempo que você realmente firmava seu gosto musical e fazia de tudo para ter aquela música chiclete ou não, tocando no seu walkman

Pensando nessa minha trajetória toda, acho normal os fãs da Taylor Swift, a galera que tem no One Direction sua primeira boy band (a minha foi New Kids On The Block), não conhecer os clássicos (bons ou ruins). Alanis já foi a Taylor Swift lá de trás e já cantou sua vida em suas letras e isso foi ótimo toda vez. Limpei meu peito e coração com várias músicas da cantora ao longo da vida. E hoje acredito que ela possa conquistar uma nova geração. Se Nina Simone, Ella Fitzgerald continuam por seduzir com suas vozes os corações de um novo público, porque Alanis não pode fazer o mesmo agora e no futuro breve? 

Acho injusto cobrar da nova geração conhecer tudo e saber de tudo. Parece que aos 15 anos, nos dias de hoje, você é obrigado a saber sobre todo e qualquer assunto. A galera dos trinta (minha casa em breve) é perdoada. Somos considerados uma geração antiga e tudo bem achar que Snapchat é o nome de uma banda e não saber baixar aplicativos no próprio celular. Não nascemos com essa tecnologia que desde pequenos essa (nova) geração foi acostumada a dominar com os dedos. Mas isso não é contraditório? Acho que musicalmente estamos em uma época de muito barulho por nada e por esse motivo, coisas boas acabam por escapar de nossos ouvidos e dos deles (galerinha nova) e cabe a gente (povo das antigas) apresentar o que gostamos de ouvir e que não toca mais na rádio (alguém ainda escuta rádio por aí?) ou domina as listas de músicas mais baixadas no iTunes. 

Vamos ter boa vontade e permitir que a galera nova possa não saber das coisas, assim como não sabíamos quando tínhamos a mesma idade. É normal não saber quem é Alanis ou Taylor Swift. Eu mesmo gostaria de saber se você tem ideia de quem é Melanie Martinez. Não? Bem, senta aí que eu vou te contar...

Leia Também:
Leandro Faria  
Silvestre Mendes é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance. Além disso, é o dono das colunas de quinta-feira no Barba Feita.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share