18 de nov de 2015

A Menina da Neve, de Eowyn Ivey





Preciso confessar: comecei a leitura de A Menina da Neve sem saber muito bem o que esperar do livro. Ia avançando as páginas calmamente, apreciando a prosa de Eowyn Ivey (que nome maravilhoso, gente!), mas sem me empolgar muito pelo cotidiano de dois jovens idosos no Alasca, no inverno de 1920. Mas, pouco a pouco, a trama me pegou e me vi empolgado com a história. E não é bom quando isso acontece?

Lançado pela editora Novo Conceito no Brasil, A Menina da Neve narra o dia a dia de um casal de idosos, Jack e Mabel. Casados e sem filhos, eles decidiram largar suas vidas e reiniciar tudo no Alasca, quando Mabel, mesmo anos depois, ainda remoía a dor da perda de um bebê. Talvez no Alasca, longe da cobrança familiar e das lembranças, o casal pudesse dar sentido à própria vida, em uma época em que uma grande família era sempre o esperado.

Mas a vida no Alasca mostra-se difícil e o objetivo de Mabel, que era ficar mais próxima de Jack, acaba não se concretizando, já que o marido precisa passar longos períodos trabalhando no terreno, preparando-o para a plantação e a colheita nos períodos longe do inverno. Até que um belo dia, na primeira nevasca do ano, Jack e Mabel se permitem um momento de descontração e criam até mesmo uma boneca de neve. O que eles não contavam é que a partir do dia seguinte, usando a luva e o cachecol da boneca de neve, surgisse em suas vidas Faina, uma menina que, aparentemente, vive sozinha nas montanhas, apenas acompanhada de uma raposa.

Misturando fábula com uma excelente prosa, somos facilmente conquistados pela trama de Eowyn Ivey, já que ficamos na dúvida ao ler o livro: será Faina real ou apenas uma invenção das cabeças de Jack e Mabel? Como apenas o casal conhece a menina, é fácil ficarmos na dúvida se ela realmente existe ou se não passa de uma alucinação dupla criada pela mente dos dois.

Tendo como pano de fundo as paisagens congelantes do Alasca da década de 20, A Menina da Neve é uma excelente leitura, principalmente pelo talento de sua autora ao narrar essa história. Concentrando-se em uma trama que dura vários anos, vamos acompanhando junto com Jack, Mabel, Faina e os vizinhos próximos do casal, o desenrolar dos acontecimentos, até um final surpreendente e em aberto, o que pode não agradar a todos os leitores, mas que combina perfeitamente com a história que acompanhamos até ali.

Fugindo um pouco do tipo de livro normalmente lançado pela Editora Novo Conceito, A Menina da Neve é uma obra adulta, envolvente e que vale cada minuto de nossa concentração em suas páginas.

Autora: Eowyn Ivey
Páginas: 352

Leia Também:


Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share