24 de nov de 2015

Primeiras Impressões: Jessica Jones





No último dia 20 de novembro, estreou pelo serviço de streaming Netflix a nova série da Marvel, Jessica Jones. Essa é a segunda produção original Netflix em parceria com a Marvel, sendo a primeira, e muito aclamada pela crítica, Demolidor, que agradou em cheio o público e mostrou uma outra faceta do universo Marvel nas telas, diferenciando do que estávamos acostumados em Agents of the Shield e Agent CarterJessica Jones vem no mesmo molde de Demolidor

Na trama, vemos uma Jessica com um passado obscuro que ela tenta de todo modo esquecer. Não fica claro logo de cara o que aconteceu com ela, porém, fica implícito que isso a deixou gravemente perturbada. Jessica é uma investigadora particular, que usa métodos pouco ortodoxos, sendo sua rotina a de investigar casos extraconjugais e, como a mesma diz, “procurar o pior das pessoas”. 

Como mencionado antes, Jessica tem um passado que a perturba, e sua fuga acaba sendo o seu exílio pessoal, seu trabalho e uma bebedeira noturna; algo diferente de Demolidor, onde Matt busca justiça a todo preço, ao passo que Jones só quer seguir em frente. Porém, é justamente aí que o passado a alcança, quando um casal a procura para investigar o desaparecimento de sua filha. 


Não vou falar sobre o desenrolar desses eventos para não estragar o prazer de quem assistir, mas ressalto que esse caso é o ponto de partida para os eventos principais da série. Como em Demolidor, não nos é entregue logo de cara quem é o vilão da trama; o que existe é apenas a menção do mesmo e o terror psicológico que ele traz. Sabemos que Kilgrave (Homem-Purpura) é psicótico, manipulador, inescrupuloso e simplesmente terrível, o que fica claro com o temor que Jessica tem dele. 

Vamos aos destaques da série, Jessica Jones é interpretada por Kristen Ritter, que se mostra a melhor escolha para o papel. Segura em todos os momentos, é incrível sua atuação, sendo um show à parte, embora não carregue a produção sozinha como vemos em outras séries do gênero. Luke Cage também dá as caras em Jessica Jones, sendo interpretado por Mike Colter, que nos mostra que o herói está muito bem representado e logo terá também a sua própria série Marvel/Netflix. 

O restante do elenco de apoio é de primeira linha, como por exemplo, Carrie-Anne Moss, a eterna Trinity, de Matrix, interpretando uma advogada que eventualmente contrata Jessica. 


Dentro de todo o contexto proposto pela série, só podemos elogiar a produção, que diferente de Demolidor, não terá um arco de ação tão envolvente, se focando mais no terror psicológico e numa trama linear e bem desenvolvida, com conflitos internos da personagem que simplesmente busca seguir adiante. Vale ressaltar que Jessica Jones se passa no mesmo universo que Demolidor, ou seja, não será estranho o entrelaçamento das produções mais à frente. 

Por fim, só posso aplaudir a mais uma excelente produção da parceria Marvel/Netflix. Em um ano de grandes estreias, Jessica Jones pode figurar tranquilamente entre as melhores do ano, assim como Narcos, que não por acaso também é uma série original Netflix ❤

Leia Também:
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share