27 de jan de 2016

Primeiras Impressões: DC's Legends Of Tomorrow




Estreou mais uma serie de heróis na grade da CW, o mesmo canal que já é detentor das consagradas Arrow e The Flash. E é justamente com personagens vindos de ambas séries que DC’s Legends Of Tomorrow se estrutura e cria a sua própria trama independente de suas matrizes. 

DC’s Legends of Tomorrow combina diversos personagens que foram previamente apresentados em algum momento nas séries Arrow e The Flash, o que foi uma manobra muito inteligente, pois já cria junto ao telespectador da nova série um vínculo com as séries já consolidadas. E, só para garantir que essa conexão é plena, o próprio Arrow aparece no piloto, dando a “bênção” para a criação do novo time de heróis. 

Vamos começar despindo o preconceito inicial: não, você não precisa estar em dia com a série do Arqueiro ou do Velocista Escarlate para assistir a nova empreitada da CW. Apesar de compartilhar de um mesmo universo – o que garante uma dose extra de diversão, segundo os produtores -, a produção de Legends se propôs a criar uma série mais independente. Ainda veremos alguns rostos conhecidos, como foi o caso desse piloto, mas até pela proposta de ter como trama central as viagens no tempo, a série alçará voos próprios.


Talvez, o que fique um pouco precário nesse ponto seja a apresentação dos personagens. Apostando na agilidade, o piloto não perdeu muito tempo em mostrar de onde esses “heróis” vinham ou qual era o real backgroud para levá-los a aceitar uma missão como a proposta por Rip Hunter. Em poucos minutos os vemos capturados e inseridos na trama central, que busca a derrocada de Vandal Savage, nosso grande vilão. Aqui vale uma explicação: a série já foi “introduzida” durante o último crossover que rolou entre suas séries-mãe. Lá soubemos os motivos de Savage querer matar o casal Gavião, de onde sua imortalidade vinha e como sua maldade está ligada a fatos trágicos da história mundial.


Caity Lotz retorna no papel de Canário, agora com uma abordagem diferente, tentando deixar a escuridão de lado – o que justifica a mudança de nome para Canário Branco. Lá de Star City também veio Ray e seu traje de Eléktron, ou Átomo como também é chamado, com o poder de se transformar em tamanhos atômicos e mantendo a força do modelo original. Já das bandas de Central City, Capitão Frio e Onda Térmica (Wentworth Miller e Dominic Purcell, respectivamente), uma dupla improvável de ladrões, se junta à equipe e prometem ser uma contraposição interessante ao senso ético dos demais. Também não podemos esquecer de Nuclear, com suas duas partes igualmente importantes, além do Homem e da Mulher Gavião (Falk Hentschel e Ciara Renee), pessoas fundamentais para a morte definitiva de Savage. 

O piloto foi bem divertido, com duas referências superengraçadas à Star Wars, mas foi apenas uma apresentação da série, não mostrando muito a que veio – e talvez nem precise. Pode ser que quem não acompanhe as outras séries no mesmo universo fique um pouco perdido, mas com certeza vai se encontrar com facilidade. 

Bem, esperava mais do piloto, mas acho que essa série tem um potencial muito grande, ainda mais devido ao seu já elogiado formato. Que a CW entenda que 13 episódios bem desenvolvidos são melhores que 23 de enrolação.

Leia Também:
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


1 comentários:

allanbboy disse...

Particularmente achei ela meio fraca, esperava mais, achei ela muito parada e quando se tem ação é bem monótona, como o próprio ator falou no inicio estou pegando os heróis e vilões mais chatos e sem historia pra humanidade e dando a chance a vocês de serem alguém, por fim, nada mudou eles continuam sendo nimguem e com um pouco mais de chatice. Nada contra, apenas comentário do que eu achei.

Ah uma grande coisa que me incomoda nos seriados tanto do Arqueiro e agora no Legends. Acho que devido ao fato deles nao terem poderes isso os deixa bem chatinhos e forçado na hora de fazer as cenas, oq digo é na hora das lutas tem 20 inimidos armados ate os dentes e 3 herois, o que acontece? Os caras esquecem as armas e preferem cair na porrada com os herois que brigam p carai.... No inicio o arqueiro era bem emocionante mais ai passou a ser as mesmas cenas de acao chatinhas. :S tiraram a matança ficou isso.

Share