24 de fev de 2016

#Literatura: Quando Tudo Volta, de John Corey Whaley





Sabem quando você começa uma leitura sem nenhuma referência além da sinopse na página final do livro? E quando, exatamente por isso, se pega preso ao universo criado pelo autor da obra, emocionando-se com aquela história e desejando compartilhar mais da vida daqueles personagens? É raro, eu sei, mas quando acontece, é maravilhoso. E é exatamente isso que John Corey Whaley com seu romance de estreia, Quando Tudo Volta, lançado no Brasil pela Editora Novo Conceito.

Protagonizado pelo adolescente Cullen Witter, o livro acompanha a vida desse jovem de 17 anos, na pacata e pequena cidade de Lily, no Arkansas, onde nada parece acontecer. Entre seus dias de tédio e término da high school, Cullen se diverte com seu melhor amigo Lucas, enquanto troca confidências com seu irmão Gabriel, de 15 anos. Até que um dia, a rotina da cidade muda quando um observador de pássaros afirma ter visto na região o pica-pau Lázaro, teoricamente extinto há algumas décadas. E, logo depois disso, Gabriel, o irmão de Cullen, desaparece misteriosamente de uma hora para a outra, afetando a vida de todos os que ficaram na cidade, principalmente, é claro, a de sua família.

Assim, entre os devaneios e a imaginação de Cullen, vamos acompanhando a dor de alguém que, do nada, perde alguém da família de uma maneira incompreensível. Afinal, Gabriel um dia estava lá, até que do nada, ele sumiu sem deixar rastros. A dor emocional dessa perda, aliada à euforia que a cidade vive com a possibilidade da existência real do pica-pau Lázaro é que nos leva pelas páginas desse singelo romance que fala mais sobre o ser humano que sua simples sinopse pode nos fazer acreditar.

Livro de estreia do autor John Corey Whaley, a trama de Quando Tudo Volta foi inspirada em um fato real vivenciado por ele em sua cidade, quando era mais jovem: durante algumas semanas, o noticiário falava sobre um possível pássaro que todos acreditavam estar extinto e que poderia ou não ter sido visto nas redondezas. Com essa memória afetiva, o autor criou o universo de Lily, com todo o pano de fundo que rodeia a vida de Cullen Witter aqui. 

Intercalando a trama com capítulos centrados na vida de Cullen com outros que, a princípio, mostram outro personagem que parece não ter nada a ver com a trama principal (e seríamos tolos de acreditar que isso foi por acaso), o livro nos conquista de cara, ao nos deixar ansiosos por suas duas narrativas que, é óbvio, em algum momento hão de se cruzar, esclarecendo inclusive o grande mistério da história: o que aconteceu com Gabriel Cullen.

Bonito e com um toque de esperança em suas páginas finais, Quando Tudo Volta deixa sua mensagem e seu recado para todos nós:
"... a vida não tem um único sentido; que ela só tem o sentido que cada um de nós dá a ela. Posso dizer que ainda não sei o sentido da minha..."
E, sendo bem sinceros: quem de nós sabe para que estamos aqui?

Autor: John Corey Whaley
Páginas: 224
Editora: Novo Conceito

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


0 comentários:

Share