15 de fev de 2016

Pop Séries: Ray Donovan




Olá amigos, tudo bem com vocês? Eu espero que sim, porque hoje vou falar de uma série que particularmente gosto muito e acho que pode ser uma ótima dica para vocês. E, embora ela não tenha um grande apelo aqui no Brasil, é muito interessante e de uma excelente qualidade. 

Ray Donovan é produzida pelo canal americano Showtime o mesmo de Dexter, Homeland e Penny Dreadful.  A série estreou em 2013 e apresentou Ray Donovan ((Liev Schreiber), que é uma espécie de “Mr. Wolf” de Los Angeles (quem viu o filme Pulp Fiction sabe do que eu estou falando). Ray é especialista em resolver problemas de celebridades em Los Angeles (também conhecida como “vila dos malucos”), e não mede esforços para cumprir de forma exemplar as missões que lhe são dadas. Até porque ele recebe muito bem para fazer o que faz. 

Logo no piloto da série vemos do que Ray é capaz para realizar seu trabalho, como livrar um atleta de se envolver com uma overdose de uma desconhecida, livrar um ator de ser pego pelo TMZ por envolvimento com travestis, ajudar um caso antigo a se livrar de um stalker (pintando o cara de verde e, mesmo assim, ele precisa utilizar um taco de baseball para convencer o pervertido), entre outras excentricidades dos famosos californianos. Como disse antes, Ray é capaz de ir até as últimas consequências para livrar os malucos de seus problemas absurdos. 

Entretanto, os problemas na vida de Ray surgem quando seu pai Mickey Dovovan (Jon Voight) é libertado da cadeia depois de vinte anos e volta ao convívio da família, o que acaba trazendo inúmeros problemas, isso porque Ray e seu pai não se entendem por questões do passado, que acaba envolvendo todos os familiares de Ray, como seus irmãos e seus filhos e mulher.


Muitos podem achar a premissa de Ray similar à de Scandal, de Shonda Rimes, mas é só uma impressão, já que as séries seguiram por caminhos distintos. Ray segue por uma trilha de maior drama familiar, e sem contar o fato da série da Showtime ter um teor mais adulto, com palavrões e cenas mais picantes. 

Deixando de lado essa comparação, uma ótima característica do seriado é que souberam intercalar muito bem entre o procedural e o drama familiar. Sim, muitos casos estão ali para Ray resolver, mas apesar disso, a maior parte do tempo é dedicada para os conflitos que acontecem dentro de sua casa. Isso faz com que a série possa se diferenciar de outras do gênero, pois irá fugir dos conhecidos “caso da semana”. 

Os personagens são, na sua maioria, carismáticos. O protagonista é aquele típico “anti-herói” que quebra as leis, mas quase sempre por bons motivos. Outro ponto forte é que a família Donovan é bem problemática, e cada um tem suas coisas para resolver.


O elenco é ótimo, onde quase ninguém deixa a desejar. Liev Schreiber escarna um Ray exatamente no tom certo, sendo cruel, misterioso e simpático ao mesmo tempo, criando uma combinação um tanto única. Jon Voight faz uma pessoa que por um lado é a vilã e, por outro, chega a ter um pouco de razão. Paula Malcomson, Katherine Moennig, Elliott Gould, Dash Mihok, entre outros, também merecem algum destaque. 

Por fim, Ray Donovan é uma série muito bem produzida, com uma trama envolvente e uma narrativa fascinante; vale a pena acompanhar. A série vai para sua quarta temporada.

Leia Também:
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


5 comentários:

Vanessa Friede disse...

Previsão de estréia da 4ª temporada?

Artur Lima disse...

Julho de 2016 é a previsão de estreia nos EUA, aqui quem transmite a série é a HBO.

Luana Ribeiro disse...

Olá, parabéns pelo seu trabalho! Acho que seria legal no final ou antes de iniciar o texto algumas informações sobre o filme, tipo gênero, obrigada :)

Artur Lima disse...

Obrigado pela dica Luana!

Forte Abraço! =)

María Alvarado disse...

Ray Donovan é uma dos os melhores seriados que já vi, agora eu vou verificar algum outro showtime porque se eles fazem um trabalho tão bom comigo isso soa como você pode ter outros que também são bons.

Share