17 de fev de 2016

#Televisão: American Crime Story - The People V. O.J Simpson





Sei que estou atrasado, porém, não poderia deixar passar em branco a estreia de American Crime Story, série produzida por Ryan Murphy, o mesmo de American Horror Story e Scream Queens

A proposta de American Crime Story é a de que a cada temporada, a nova franquia mostre um grande crime visto por diferentes perspectivas, tentando apresentar ao telespectador vários pontos de vista de um mesmo incidente. No caso em particular dessa primeira temporada, o foco principal está nas estratégias da promotoria e advogados de defesa, na repercussão que a mídia deu ao caso, e os diversos conflitos de interesses envolvidos em um dos casos mais emblemáticos para a mídia e cultura pop norte-americana. 

A primeira temporada de American Crime Story é baseada no livro The Run of His Life: The People v. O. J. Simpson, de Jeffrey Toobin. Mostra todos os bastidores da investigação e julgamento do ex-jogador de futebol americano O. J. Simpson, acusado de ter assassinado a ex-mulher, Nicole Brown Simpson, e o seu amigo Ronald Goldman. O caso por si só tem importância gigante, por O. J. ser considerado uma das lendas do esporte, e um dos atletas mais populares da nação. Mas outros aspectos influenciam ainda mais na repercussão desse lamentável incidente.


Para começar, o crime acontece em Los Angeles, onde a polícia local, na época, era acusada de ser altamente preconceituosa, agindo com violência contra os negros que, em muitos casos, eram considerados inocentes dos crimes. A imprensa está de olho e, tanto a polícia como (principalmente) os promotores estão sob pressão. Logo, o duplo assassinato de Nicole e Ronald não ajuda em nada. Pelo contrário, já que O. J. Simpson é um dos negros mais populares dos Estados Unidos. 

Dito isso, vamos à analise do episódio piloto, que mostra todas as informações que você precisa saber para acompanhar a temporada, além de oferecer os elementos necessários para você se envolver com a trama a ponto de seguir adiante com a série. Em linhas gerais, o episódio tem pontos positivos e negativos, mas que na média consegue passar de ano. 

O roteiro é bom e bem conduzido e não tem muito como inventar reviravoltas e coisas mirabolantes, já que a série é baseada num livro que, por sua vez, é baseado em fatos reais. Basta seguir os acontecimentos. Você pode adicionar uma coisa aqui ou ali para suavizar a narrativa, ou deixar a série mais acessível para o grande público (como, por exemplo, a passagem que mostra o velório de Nicole e a presença de Kris Kardashian na época, hoje Kris Jenner, nesse mesmo velório, uma vez que ela era uma das melhores amigas da falecida). Mas também é só. Logo, American Crime Story é bem roteirizada sim. 

Por outro lado, a produção incomoda um pouco. Tudo tem mais cara de anos 80 do que de anos 90. As roupas estão estranhas, os cortes de cabelo também. A fotografia também tenta dar um ar retrô à série, mas é algo desnecessário. Se investisse mais na ambientação estética e na produção desses elementos, convenceria mais, sem deixar aquela impressão de viagem no tempo malfeita.


Analisando mais o enredo e a narrativa, fica claro a qualidade da série, que é dinâmica como tem que ser. O elenco muito bem escalado chama a atenção. O.J. é retratado por Cuba Gooding Jr.,  em atuação muito convincente e extravagante; John Travolta, na pele do advogado de defesa Robert Shapiro; David Schwimmer como Robert Kardashian (pai de Kim Kardashian); e Sarah Paulson, incrível como a advogada de acusação Marcia Clark. O elenco é bom, mas parece desconfortável em seus respectivos papeis, entretanto, isso não compromete na narrativa criada pelo roteiro. 

Com uma abordagem antológica, American Crime Story leva ao grande público um dos julgamentos mais importantes da história norte-americana, abrindo espaço para detalhes e novas perspectivas, tanto de quem acompanhou o caso na época, quanto para quem não viu ou se lembra. Vale a pena conferir. 

American Crime Story – The People v. OJ Simpson terá 10 episódios em sua primeira temporada. No Brasil é transmitida pelo canal FX, todas as quintas-feiras, às 22h30 (horário de Brasília). Após a exibição, os episódios estarão disponíveis no Fox Play para os assinantes.

Leia Também:
Leandro Faria  
Artur Lima: aficionado por cinema, música, seriados e livros, não nesta ordem, apaixonado por dias frios e chá. Estudante de Comunicação Social, acha que sabe de tudo e sonha em trabalhar com cinema.
FacebookTwitter


0 comentários:

Share