13 de abr de 2016

#VergonhaAlheia - Ano IV - # 06





Eita lasqueira braba, olha eu aqui de novo! Tudo bem, minha gente?! Perdoem não ter vindo no dia habitual, é que eu não tinha quase nada pra trazer pra vocês, e como eu gosto de fazer as coisas direitinho... Ah, vocês me conhecem, né? Então vamos lá?! Vamos sim, já que eu não consegui atualizar meu Spotify (brincadeira!).

Vamos começar com Cotidiano. Gente, parece coisa de comédia pastelão, ou brincadeira da galera do Sensacionalista, mas não é. Vamos olhar a imagem a seguir:

Sim, isso aqui do lado é uma pessoa embalada em papel alumínio, tá gente? O que, na cabeça dos ladrões, parecia um plano maravilhoso, era, na verdade, uma bela de uma ideia de gerico, viu? 

A ideia era se embalar em papel alumínio pra não disparar o alarme, e eu não sei, assim, tenho minhas dúvidas, mas parece que eles pensaram que o papel alumínio ia dar uma invisibilizada neles, hein... 

Ai, cara, Brasil tem cada coisa, né? Galera não sabe nem roubar um banco, caramba! Tá, tá bom, eu sei que a coisa toda do papel alumínio funciona mesmo, mas gente... Só rindo.

Vamos agora pra... Bem, não sei que nome a gente dá pra essa editoria. Moda? Ah, vai ser Moda. Vamos agora de Moda!

Luana Piovani, sabem? Claro que sabem! Pois bem, Lu posou pra Playboy, até aí tudo bem. O ensaio foi bastante comentado, várias críticas positivas, que beleza, né? Sim, muita. Mas... a gente sabe que Piovani não consegue segurar aquela maldita língua dentro da boca, não é mesmo? Pois bem, uma seguidora atenta, antenada, que sabe das coisas, reparou que a bunda de Luana no ensaio estava um tanto quanto diferente da bunda das fotos no Instagram, e é claro que comentou, dizendo que nunca que aquela bunda era, de fato, de Luana #MinhaBundaMinhaVida.

Piovani, essa pessoa maravilhosa, simplesmente disparou: 
“Amadinha tá seca de inveja né, entendo, flor, com 18 anos, essa fuça de nariz abertão, progressiva no cabelo, não é fácil aceitar musa, chora, fiota, chora.”
Hum.... Olha, Luana, assim, não sei não, mas é muito fácil fazer comentário racista quando tu é retocada no Photoshop, hein... 

AH VÁ, até parece que ninguém sabe que rolou edição ali, vai! Que coisa feia, Lu, custava levar a coisa na esportiva? Tudo bem, falou da sua bunda e tal, mas comentário racista? Baixo nível até pra você, hein!

Vamos agora de Entretenimento. Ou falta de, viu, gente? Então, Paulo Gustavo, sabem? Sim. Paulo Gustavo fez a Avril Lavigne e não quis saber de intimidade com um fã, que pediu pra tirar foto com ele. Vamos dar uma olhada nesse Meet & Greet maravilhoso?


Coitado do rapaz, gente! E ainda deu um joinha, afinal... Bem, já tava na merda, então vamo dar um joinha pra tentar amenizar a situação (e a cara de cu do ator). 

É, minha gente... E há quem defenda, né não? Nossa, a galera defende com unhas e dentes, certamente uma minoria desavisada.

Agora segura esse tchan aí, galera! Big Brother Brasil, né? Pois bem, o programa acabou, pra alegria de alguns, pra tristeza de outros, e a galera costuma se apegar aos participantes, não é mesmo? Um monte de gente mudando o sobrenome pra Renault no Twitter, por causa da Ana Paula, colocando o nome de seu participante favorito no nick, essas coisas. Mas tem gente que exagera, né? Sempre tem, claro que tem, então, se algum dia na sua vida você se sentir trouxa por ter mandado mensagem pra tal pessoa que não merecia a mensagem, ou por ter gastado mais do que devia, ou enfim, N coisas, ajoelhe, levante as mãos pro céu e agradeça, porquê você não pagou uma viagem pra Disney pra dois ex-BBB‘s.

Sim! O casal premiado foi esse daí de cima, ó!

Não me perguntem quem são, pois eu não faço ideia. Mentira, eu li na reportagem, se chamam Matheus Lisboa e Maria Cláudia, mas vocês já deviam saber disso, certo? A maioria, eu acho.

Isso porquê Matheus também ganhou um iPhone... Gente, eu vou me abster de mais comentários, porque a situação é tão absurda que eu tô com medo de passar dos limites, mas... NÉ?! POIS É!

Então fica assim, gente! Semana foi bem estranha, não surgiu mais coisa pra colocar no resumo do resumo, então vou saindo de fininho. Um abraço pra quem é de abraço, um beijo pra quem é de beijo, e um queijo pra mim, porque queijo eu não divido.

FUI!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, um espírito livre, observador do tempo, da vida e das muitas timelines da web. Sonha em ter muito dinheiro pra poder cair no mundo, aprender tudo o que puder. Acredita que jazz, blues, soul, pop, samba, pagode e erudito sejam as trilhas sonoras perfeitas para a vida que leva
FacebookTwitter

0 comentários:

Share