17 de mai de 2016

#Literatura: A Fazenda, de Tom Rob Smith





Ando numa boa fase de leituras, em uma sequência excelente de livros que me prenderam desde suas primeiras páginas. E, claro, compartilhei cada um deles com vocês por aqui. O Vilarejo, Os Assassinos do Cartão Postal, A Garota Silenciosa, Novembro de 63 e, agora, esse intrigante A Fazenda, livro do autor Tom Rob Smith que acaba de entrar para o rol de autores que preciso conhecer mais e cujo primeiro livro, A Criança 44, já entrou na minha wish list.

Em A Fazenda somos apresentados por Tom Rob Smith a Daniel, um jovem inglês que, devido à sua homossexualidade, sempre escondeu uma parte de sua vida de seus pais, um casal que fez de tudo para lhe proporcionar uma vida confortável e que, na velhice, acabaram se mudando para a Suécia, em uma fazenda idílica, onde pretendiam passar o resto de seus dias. Só que algo perturbador acontece por lá, com Tilde, a mãe de Daniel, fugindo daquele local e voltando até Londres com uma história absurda, de que crimes aconteceram na região e que estava sendo perseguida por inimigos, que incluíam o pai de Daniel. Divido entre o amor pela mãe e pelo pai, que afirma que Tilde enlouqueceu, Daniel decide ouvir todo o relato de Tilde, ao mesmo tempo em que terá de decidir se a história narrada por sua mãe realmente aconteceu ou trata-se apenas de loucura.

A prosa de Tom Rob Smith é fluída, e a trama corre de maneira orgânica e natural. A maior parte do livro é a narrativa de Tilde para Daniel dos acontecimentos na Suécia, que levaram até sua fuga para Londres. E assim, como Daniel, vamos acompanhando o discurso de Tilde e nos perguntando: loucura ou realidade?

Com personagens dúbios, principalmente por estarmos acompanhando a história pela visão de Tilde, que a narra, e uma trama poderosa, A Fazenda vai levantando perguntas em suas páginas, mas consegue amarrar todas as suas pontas em seu terço final, quando depois de Daniel ouvir tudo de sua mãe, ele toma uma decisão, mas decide encontrar a verdade a qualquer custo. Assim, quando achávamos que já conhecíamos toda a história, somos brindados com reviravoltas emocionantes, em uma trama que acaba nos dando ainda mais do que prometia a princípio. E isso é um grande mérito do autor Tom Rob Smith.

Depois dessa sequência impressionante de bons títulos lidos por mim, só me resta torcer que a maré de boas escolhas e sorte continue e que eu possa me deliciar com outros livros tão bons ou melhores que os já li durante esse ano. E vocês, é claro, saberão a minha opinião. Até lá e boas leituras!

A Fazenda
Autor: Tom Rob Smith
Páginas: 336
Editora: Record

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, fruto da década de 80, viciado em cultura pop em geral. Como vício bom a gente alimenta e compartilha, estou aqui para falar de cinema, televisão, música, literatura e de tudo mais que possa (ou não) ser relevante. Por isso, puxe a cadeira, se acomode e toma mais um copo, porque papo bom a gente curte é desse jeito!
FacebookTwitter


2 comentários:

celio VOLOSKI disse...

EU li A Criança 44 e achei excelente, quando vi na livraria A Fazenda, comprei imediatamente, talvez por estar com uma grande expectativa não gostei,achei confuso e lento.

Cartas para Mind disse...

Para quem gosta de Livro estilo os que vc citou acima O Vilarejo, Os Assassinos do Cartão Postal, A Garota Silenciosa, Novembro de 63

Cartas para Mind Esse é o livro que você Não vai querer Ler!!!
Projeto de livro On line ,Ficção terror E suspense .Gostou do que leu? Siga o nosso Blog para se antenar aos proximos capítulos. afinal Vc tem medo?

Share